29 de março de 2017

“O Brasil Ride 24Hs 2017” por Baden Powell

Baden Powell e o organizador do Brasil Ride Mário Roma antes da largada (Foto: Jardel Matos)
Quatro meses antes fui convencido por um louco “Willamy Brito”, para participar da maior prova de MTB do mundo em apenas 24hs. Então montamos a Equipe Cariri Extremo com: Willamy Brito, Baden Powell, Wagner Macedo, Genilson (que não pode ir) e Beto Santa Cruz (CAMPEÃO DO BRASIL RIDE 24HS 2017. Como diria o Brow: "Beto Sagan").

Foram três meses de treinos intensivos, extenuantes e sofridos. Juntamente com nosso STAFF (Jardel Matos e Yuri Brito), embarcamos com as Bikes para São Paulo e de lá para Botucatu.

Ao chegar, fizemos o reconhecimento do circuito na sexta à tarde, a “FICHA CAIU” e já percebi o quanto seria difícil às 24hs. Nosso quarto integrante e Campeão, chegou somente na madrugada, depois de uma longa jornada de atrasos de avião e de ônibus. Mas, como Deus escreve certo por linhas tortas, aquele que teve mais sacrifícios e dificuldades de todos os tipos, foi o escolhido por Ele para ser o Campeão. Para complicar ainda mais, faltando apenas quinze minutos com todos os competidores alinhados, Beto Santa Cruz estava sem capacete (tinha esquecido em casa, kkkkkk). Providenciamos um muito simples para ele poder largar.

Dada a largada, corremos 800m a pé, até onde estavam as Bikes e começamos nossa jornada. Emoção igual, somente no nascimento dos meus dois filhos. Os melhores do País estavam ali naquele clima de competição. Inclusive um ciclista sem braços, a quem devo todas as reverencias, porque deu aula de superação e determinação em todos que estavam lá.

Nossa Equipe começou muito bem, cada um em sua Categoria. Na oitava volta, encontrei meu parceiro Wagner Macedo, que havia parado por ter levado alguns tombos, quase quebrando o braço e com a gancheira quebrada. Já era noite e começamos a andar juntos quando a bateria do meu farol descarregou completamente e Wagner abdicou da sua prova, para me guiar durante todo o trecho com sua luz. Para mim foi um momento de muita emoção e companheirismo. Dali em diante, diminuí o ritmo e rodamos juntos até o final. Certo que ele me encheu o saco algumas vezes, porque não para de falar um só instante, kkkk.

Amanheceu o dia. Willamy, que estava fazendo uma excelente prova, havia parado por problemas gastros. Beto Santa Cruz já não era mais um desconhecido. Dentro das trilhas o assunto era sobre o Nordestino que estava na frente do Brow e do Genilson. Orgulho total para a nossa Equipe Cariri Extremo.

O circuito de 11.4km era muito BRUTO. Um Rockgarden alucinante, singletracks de tirar o fôlego, nada de estradão, nada de fingimento. Ou você estava subindo, ou estava descendo em um solo radical. E ainda tinha uma linha de trem no meio do nada. Com 18:00 de prova, meus braços não serviam mais pra nada. Perdi a força das mãos e às vezes o controle da Bike, mas a cada hora quando chegava em nosso STAFF (Jardel Matos e Yuri Brito), as energias se renovavam como se estivesse na Largada.

Apoio moral, mecânico, alimentação, massagens, informações sobre o tempo dos adversários E UM ABRAÇO AMIGO NÃO FALTARAM. Esse era o grande diferencial dessa EQUIPE NORDESTINA QUE TROUXE O CAMPEÃO DO BRASIL RIDE. O desgaste físico, as dores por todo o corpo e o CIRCUITO BRUTAL me convidavam constantemente para parar e desistir da prova.

Momentos para sorrir, para chorar, para introspecção e para descobrir que podemos ir mais longe do que pensamos. Ainda me emociono a escrever isso. Eram 10:30 da manhã, quando Beto Santa Cruz me deu mais uma volta, kkkkk, e me informou que era a última e que eu não desistisse. E assim fiz. Subi o último trecho (e único em asfalto), com três KM de uma inclinação absurda até a linha de chegada. Estava em quinto e garantindo o pódio, mas fui informado que a organização havia subido três atletas da Categoria Master para a minha, Gran Master. Fui o sétimo.

BRASIL RIDE 24hs. Uma experiência para o resto da vida. VALEU, EQUIPE CARIRI EXTREMO. Agradeço demais aos meus irmãos: Willamy Brito, Wagner Macedo, Genilson, Jardel Matos, Yuri Brito e ao nosso Campeão Beto Santa Cruz (Beto Sagan).

Ansioso por 2018. Até lá!!!