27 de março de 2017

Baixa adesão marca ato em Fortaleza com pauta da direita

Praça Portugal recebeu público pequeno e alguns dos participantes agregaram um pouco de humor aos protestos (Foto: Divulgação)
Em sinalização de continuidade de atos de rua, movimentos que protagonizaram protestos pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff promoveram, ontem (27/03), na Praça Portugal, manifestação em defesa de pautas da direita, em conjunto com ato nacional. De acordo com a organização, cerca de mil pessoas estiveram presentes. A Polícia Militar não divulgou estimativa.

O coordenador do movimento Direita Ceará, Heitor Freire, justificou que a baixa adesão se deveu “também pela chuva”, que ameaçou aparecer do céu nublado da tarde de Fortaleza. “Pensamos até em cancelar o evento. Mas o resultado foi positivo e ficamos satisfeitos. As pautas foram todas alinhadas com os movimentos nacionais”, diz ele.

Segundo ele, as manifestações que haviam cessado desde o impeachment de Dilma, e que tiveram término decretado por líderes do movimento Frente Cearense pelo Impeachment, diferem da promovida pelo Direita Ceará, que “não parou”.

“Depois do impeachment, o movimento, que é de direita conservadora, se formalizou, em defesa de pautas da direita, na qual inclui apoio à operação Lava Jato, fim do foro privilegiado e a revogação do Estatuto do Desarmamento”, explica Freire.

Durante o ato, que se iniciou às 16 horas e durou uma hora e meia, líderes de movimentos se revezaram para dar voz, no carro de som, às pautas do ato

Presente à manifestação, o deputado federal Cabo Sabino afirmou que “é fundamental” que os atos continuem, para “criar hábito das pessoas irem para às ruas”, especialmente em momento em que o País “está passando por cinco reformas simultaneamente”.

“Uma já foi aprovada e vai atingir a vida do povo brasileiro. Temos a reforma da Previdência em curso, a reforma tributária, e temos para tramitar a reforma política, com a questão de lista fechada, que vai simplesmente tirar o direito do cidadão de votar. As pessoas não estão despertando para isso. Estão assistindo”, disse o parlamentar.

Com informações O Povo Online