15 de agosto de 2018

Advogado rebate prefeito na Tribuna da Câmara de Altaneira

Em uso da Tribuna da Câmara Municipal de Altaneira, na Sessão Ordinária de ontem (15/08), o advogado Raimundo Soares Filho, rebateu o prefeito deste município, Dariomar Rodrigues (PT).

O advogado, que é denunciante no processo de cassação do prefeito, disse que não tinha intenção de usar a tribuna da Câmara antes do julgamento final, mas em virtude das críticas a sua pessoa e as mentiras ditas pelo prefeito na reunião da Comissão decidiu solicitar o espaço.

Inicialmente o advogado elogiou o presidente da Comissão Processante, bem como o Relator e agradeceu pelas menções honrosas a sua pessoa. Parabenizou também o Presidente da Câmara pela forma como tem conduzido o Legislativo Municipal.

Frente a frente com Dariomar, o advogado afirmou caracterizou os discurso do prefeito na Comissão como "ato de desespero" de alguém que "corre o risco de ir para a cadeia", em suas palavras.

Sobre as críticas dos advogados de defesa ao relatório prévio do vereador Flávio, o advogado denunciante foi categórico: "Foi a primeira vez em 22 anos de advocacia que vi um pedido de arquivamento de denuncia por excesso de provas", disse, citando indiretamente a defesa organizada pelo prefeito municipal na sessão anterior. 

Soares ainda aproveitou para lembrar que todos os dados presentes na denúncia são correspondentes às informações no Portal da Transparência do Município, sob responsabilidade da administração pública. "Se houve algum erro, esse erro foi da assessoria contratada e paga pelo município", afirma. Isso porque o prefeito teria dito que havia "maldade" por parte do autor da denúncia. 

Outro ponto que o advogado fez questão de esclarecer é que a Câmara não irá julgar os supostos crimes cometidos pelo prefeito, essa apuração se dará perante o Tribunal de Justiça, os vereadores analisam a prática de infrações politico-administrativas.

A denúncia de despesas irregulares em 2017 com acréscimos de mais R$ 1 milhão em aluguel de veículos, em serviços mecânicos, aquisição de pneus e gastos com assessoria jurídica.

O desfecho da investigação ainda está por vir, a Comissão vai decidir amanhã se prossegue ou não com a investigação. Na semana passada o relator Flávio opinou pelo prosseguimento do processo, mas a vereadora Silvania Andrade (PT) pediu para adiar a votação.

Enquanto isso, Altaneira vem passando por apertos. Em julho deste ano, 48 servidores foram demitidos para corte em despesas com folha de pagamento. O motivo para tal foi uma revisão determinada pelo Tribunal de Contas do Estado, que poderia colocar o prefeito Dariomar na mira da Lei de Responsabilidade Fiscal por ultrapassar gastos na ordem de R$ 200 mil mensais.

Clique aqui e assista a íntegra do pronunciamento do advogado na Câmara Municipal de Altaneira.