16 de agosto de 2018

Processo de Cassação do prefeito volta ao debate na Câmara de Altaneira

Plenário da Câmara Municipal de Altaneira (Foto: Júnior Carvalho)
Mais uma vez o processo de cassação do prefeito Dariomar Rodrigues (PT) foi o tema principal da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Altaneira realizada na manhã de ontem (15/08), que contou com a participação deste blogueiro, usando a Tribuna para rebater o gestor municipal. 

Dentre os pontos principais ficou esclarecido que a Câmara Municipal não julga crime, os crimes de responsabilidade do prefeito são julgados pelo Tribunal de Justiça após denúncia do Ministério público.

O presidente da Câmara, vereador Antonio Leite (PDT), criticou o comportamento do prefeito na última reunião da Comissão Processante alegando que o mesmo faltou com educação para com os vereadores, principalmente com o vereador Flavio Correia, enfatizou que o espaço será dada a todos, mas que não vai mais aceitar essa tipo de postura.

Ainda enfatizou o encontro que participou no município de Araripe, onde foi criada uma comissão para lutar em prol do povo, como também afirmou que não quer fazer da política profissão, que já está satisfeito com sua atuação política e que vai continuar zelando seu mandato até o final.

O vereador Professor Adeilton (PSD) agradeceu os elogios deferidos a condução, lamentou alguns comentários que circulam na cidade, afirmou que não participou, não participa de acordo com o prefeito, informou que ficou sabendo que o ex-prefeito disse em uma reunião fechada que iria comprar dois vereadores da oposição, mas que não podem  levar pela emoção.

“Temos que tomar cuidado com essa situação, lembro que no recebimento da denúncia o prefeito apareceu em minha casa e disse que estava a disposição nossa, e na oportunidade não pedimos nada”.

Adeilton ainda afirmou que vai para metade de seu terceiro mandato, que seus eleitores não tenham duvida de seu posicionamento, que seu voto vai ser o mais transparente possível.

Em seguida o vereador Flávio Correia (Solidariedade) disse que é normal essa situação e opiniões diferentes, mas que sua experiência lhe dar habilidade para seguir em frente, agradeceu o apoio dos amigos depois da reunião da Comissão Processante, onde foi insultado, afirmou que aprende com as críticas , mas disse que nunca se corrompeu, ainda denunciou abandono do Hospital Municipal.

Sobre as insinuações do prefeito que os vereadores devem dar satisfação aos eleitores, Flávio disse que anda todo dia dando explicação do seu trabalho e que pode ser analfabeto, mas com certeza não é corrupto.

A vereadora Silvânia Andrade disse que o prefeito não chamou vereador de analfabeto e sim mandou o colega Flávio Correia estudar o relatório, sobre seu voto na Comissão, disse que vota a favor do prefeito, pois, o conhece desde criança e acredita nele.

Já a vereadora Alice Gonçalves (PRP), disse que na gestão passada a ex-presidente Lélia foi chamada de analfabeta por várias vezes na Casa Legislativa, parabenizou o líder de oposição pelas palavras, condenou a postura do grupo que ajudou elegeu o prefeito e hoje quer cassar o mandato dele.

A vereadora afirmou ainda que “Não compete os vereadores investigar o prefeito e sim ao Ministério Público”.

O vereador Devaldo Nogueira (MDB) enfatizou que a gestão e o diálogo da Casa são bons e devem continuar, que foram eleito com dificuldades e todos devem ter cuidado nesse processo e pediu que a Comissão deixasse as investigações para o ministério público, que a denúncia seja parada.

Devaldo disse ainda que as redes sociais não vão fazer diferença em sua posição na Casa.

A vereador Zuleide Ferreira (PSDB) disse que atualmente observa pessoas educadas na Casa, mas são os mesmos que também a chamou de analfabeta.  Lembrou do trabalho que participou junto com líder de oposição Adeilton, na CPI da Reciclam que levou afastamento do ex-prefeito Delvamberto Soares. Disse que no final que vai votar com consciência e não com paixão.

O vereador Cier Bastos (PDT) disse que defende a continuação para que todos possam investigar, ainda afirmou que os vereadores não podem ter pensamento de um  voto nesse processo em virtude de situação do passado.

Sobre a reunião que participou na casa do ex-prefeito Delvamberto Soares foi para elaborar estratégias para um trabalho em prol dos candidatos a deputado estadual e federal, afirmou  que não foi tratado nada sobre o processo de cassação do prefeito.

O vereador Valmir Brasil disse que o vereador tem obrigação de investigar, denunciou que ambulância do São Romão foi gasto 17 mil reais e hoje não existe ambulância na comunidade, frisou que seu voto vai ser em defesa do Povo.

Na Sessão ainda foi aprovado um requerimento e denunciado outros casos de saúde pública.

Mais uma vez a Sessão foi transmitida em tempo real na página do portal Assaré Online na rede social Facebook.

A Comissão Processante se reúne na manhã de hoje (16/08) para decidir se arquiva ou prossegue com o processo de cassação do prefeito.