21 de agosto de 2018

Ailton quer desmascarar "falsos opositores"


O candidato ao Governo do Ceará pelo Psol, Ailton Lopes, afirmou que adotará postura "firme e contundente" ao longo da campanha e que se empenhará para "desmascarar estes, que aparecem como opositores (da gestão do governador Camilo Santana, do PT), mas que seguem a situação no mesmo modo de fazer política".

A estratégia será adotada no debate entre postulantes ao Palácio da Abolição, que será realizado amanhã (22/08), pela TV Jangadeiro, a partir das 12h30min.

Para se preparar para o debate, Ailton se ausentou de reunião da Executiva Estadual do Psol, na tarde de ontem (20/08). O encontro definiu método de trabalho com lideranças da sigla e professores universitários para dar suporte ao candidato nos intervalos da transmissão televisiva.

Na opinião de Ailton, o bloco em torno de Camilo Santana com 24 partidos e mais de 600 candidatos a deputados estaduais e federais , e o bloco oposicionista ao Governo liderado pelo senador Tasso Jeireissati em nada diferem entre si, "do ponto de vista da representação dos interesses dos mais ricos".

Ele diz que a política virou "balcão de negócios", representado tanto por Camilo quanto pela chapa PSDB/Pros. "Esses ricos, todos se juntaram com o Camilo, com exceção do Tasso, que faz palanque aqui com Alckmin e sabia que não iria se eleger", diz.

Ele considera, entretanto, que é difícil "furar o poder econômico" no Ceará e no País. Ainda assim, o candidato acrescenta que a história política local o faz crer num eventual segundo turno na disputa pelo Governo.

Ele cita as eleições para a Prefeitura de Fortaleza de 1985, que elegeram Maria Luiza, então no PT, e a de 2004, que elegeram Luizianne Lins (PT). Para ele, foram "viradas históricas". "Caso a gente consiga chegar perto disso, será histórico", projeta.

Com informações portal O Povo Online