29 de agosto de 2015

Governo entrega 1.160 casas no Ceará e diz que prioridade é combater inflação e desemprego

Em Caucaia a estratégia da presidente atingiu o objetivo proposto de criar uma agenda positiva (Francisco Fontenele)
A presidente Dilma Rousseff (PT) tentou, mais uma vez, acalmar a população diante da crise econômica. Na cerimônia de entrega de unidades do Minha Casa Minha Vida ontem, em Caucaia, ela disse que combater o desemprego e a inflação são prioridades de sua gestão. “Meu governo pensa em duas coisas. Em como aumentar o emprego, garantir que o país volte a crescer. E reduzir a inflação, pois sabemos que ela corrói a renda do trabalhador”, declarou.

Desde as eleições do ano passado, esta foi a primeira vez que Dilma esteve no Ceará, estado que lhe deu 76% dos votos válidos no segundo turno. No entanto, até o Norte-Nordeste, reduto petista, tem apresentado índice crescente de desaprovação do governo federal.

A visita ao Estado faz parte de agenda para buscar apoio popular nas regionais periféricas do País. Em eventos similares, Dilma já acumula passagens por Pernambuco, Piauí, Maranhão e Roraima. Pelo menos no público do evento em Caucaia, a presidente encontrou o conforto que procurava.

Apesar das manifestações de milhares de pessoas contrárias ao governo nos últimos meses, ela ainda sustenta admiração do povo naquela fatia do estado. A hostilidade e insatisfação, que se tornaram comuns, ficaram fora do perímetro do empreendimento.

A síndica de condomínio Francileide Holanda comparou o trabalho que faz, administrando o prédio onde mora, aos deveres de Dilma. “Imagina a pressão de ser presidente! Para mim, Lula e Dilma foram o máximo. Votei nela duas vezes e se pudesse, voltaria a terceira”, afirma. Beneficiária do Bolsa Família, a dona de casa Silvana Bessa defende a presidente. “Mais que dinheiro, ela precisa de apoio neste momento difícil”, disse, momentos antes de o helicóptero de Dilma posar no local. “É ela! Até me arrepiei”, exclama ao ver a aeronave.

Do lado de fora, um protesto: “Não vai ter golpe”, gritava. A favor de Dilma, os manifestantes levantavam cartazes que pediam por mais moradia para pessoas de baixa renda. “Vou dedicar todo o meu trabalho para proteger seu governo e a democracia”, prometeu o governador Camilo Santana (PT), em resposta aos pedidos de impeachment.

No evento, Dilma criticou a “minoria” que aposta no “quanto pior, melhor”, referindo-se à oposição que tem pedido impeachment e dificultado os interesses do governo no Congresso. Ela também fez um apelo para que o País não aceite “retrocessos” democráticos ou de programas sociais. “O Brasil hoje é um País democrático que sabe superar suas dificuldades”, aponta. A presidente lembrou os tempos de regime militar e concluiu o discurso: “Nós somos um País tolerante, que respeita os outros e quer ver seus filhos criados num mundo de paz.

Na mesma solenidade o Governo Federal entregou 2.701 unidades do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) no Brasil, sendo 1.160 no Ceará. A entrega das chaves aos moradores ocorreu por meio de transmissão simultânea nas cidades cearenses de Caucaia, Fortaleza e Maracanaú; em Bom Conselho (PE); Castanhal (PA) e Colinas do Tocantins (TO). Foram R$ 213,2 milhões de investimento e mais de 10 mil beneficiários nos quatro estados.

Além das cidades do Ceará, em Bom Conselho (PE), foram entregues 141 casas no Angico III, IV e V para a comunidade quilombola. O investimento foi de R$ 4,03 milhões. Em Castanhal (PA) foram mil casas, no valor de R$ 59,6 milhões. Já em Colinas do Tocantins (TO), foram 400 moradias. 


Até o fim de 2016, outras 1,7 milhões de casas já estão contratadas. No próximo dia 10 de setembro será lançada a terceira fase do MCMV, que contratará mais 3 milhões de moradias.

Com informações O Povo Online