28 de abril de 2016

Contra manobras, deputadas “destituem” Cunha da Presidência da Câmara

Erundina chegou a sentar na cadeira de Cunha (Foto: Alan Marques)
Deputadas federais de partidos de esquerda se revoltaram contra mais uma manobra do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ocuparam a Mesa Diretora, levando assim à suspensão da sessão da noite desta quarta-feira (27/04).

A confusão iniciou quando Cunha decidiu manter a votação do projeto que cria comissões na Casa, contrariando manifestação dos deputados em plenário, majoritariamente contrária.

Deputados e deputadas de partidos de esquerda se revoltaram e subiram à mesa do plenário. Eles ocuparam também as duas tribunas do plenário, inviabilizando a fala de outros deputados. Moema Gramacho (PT-BA) e Luiza Erundina (PSOL-SP), entre outras, permaneceram todo o tempo ao lado de Cunha, na mesa, protestando contra a decisão.

Acuado, o peemedebista suspendeu a sessão e chamou uma reunião de líderes em seu gabinete. Ele deixou o plenário debaixo de gritos de "Fora, Cunha". Quando ele saiu, Gramacho sentou-se na cadeira do presidente da Câmara. Depois, Luiza Erundina. As duas exibiram cartazes "fora, Cunha".

O deputado federal Orlando Silva (PC do B) comentou o fato: "Hoje, com uma ação combativa de nossas deputadas, houve a destituição simbólica de Eduardo Cunha. Acuado, Eduardo Cunha foi posto pra fora do Plenário. É o começo do fim."

Com informações portal Brasil 247