18 de abril de 2016

Maioria dos cearenses votaram contra abertura do processo de impedimento de Dilma

O deputado Chico Lopes foi um dos assuntos mais comentados no Twitter (Foto: reprodução TV Band)
Onze parlamentares cearenses votaram contra a abertura de impedimento da presidente Dilma na Sessão de ontem (17/04) em Brasília. Nove votaram a favor houve, uma abstenção e uma por ausência. 

O primeiro voto foi do deputado Adail Carneiro (PP-CE), considerado voto “indeciso” pelos jornais de São Paulo, iniciou o discurso pedindo desculpas a Lula (PT), ao ex-governador do Ceará, Cid Gomes (PDT), e ao atual - Camilo Santana (PT).

Adail Carneiro havia sido exonerado por Camilo Santana, do cargo de assessor especial do governo do Ceará em Brasília, exatamente para votar contra a admissão do processo de impedimento da presidente. A dispensa de ocasião de Adail se deu três dias antes da votação.

O ex-secretário esteve também numa reunião, na semana passada, na capital federal, puxada por Camilo Santana com a presidente Dilma e parlamentares que votariam contra o impedimento, mas o desfecho da história não ocorreu como foi desenhado pelo governador cearense.

Quem também chamou atenção do Brasil, no púlpito da Câmara, foi o deputado federal cearense Chico Lopes (PCdoB). A fala do comunista e professor aposentado da rede estadual de ensino do Ceará, virou um dos cinco assuntos mais comentados do Twitter.

O “NÃO” de Chico Lopes veio acompanhado de ironia contra os discursos de quem votou pelo “sim”. O comunista se disse “emocionado com o encontro” de tanta gente honesta numa Câmara presidida por Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O deputado comentou a ‘surpresa’ com o parlamento que, no domingo, em vez de um encontro político, se encheu de “bons pais, bons maridos, bons filhos” e de pessoas que nunca tiveram parte com a Lava Jato.

O peemedebista Vitor Valim também foi lembrado nas redes sociais. Mas de maneira pejorativa por ter se plantado por 1h49min entre os parlamentares que se apertavam ao lado do púlpito de votação para aparecer para câmeras postadas ali, foi taxado de "papagaio de pirata".

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) também foi criticado por outro deputado cearense que votou contra o impedimento. Leônidas Cristino (PDT) afirmou que a sessão não poderia ser presidida por “um réu” da Operação Lava Jato.

A deputada Gorete Pereira (PR), que afirmou não acreditar nem no PT nem no PMDB /PSDB, se absteve de votar. E Aníbal Gomes, porque está de licença para tratamento de saúde, foi o ausente da bancada cearense.

Luizianne Lins (PT) foi discreta quando chegou a vez de votar pelo “não”. O que chamou a atenção foi seu visual meio riponga. Tiara e jaqueta vermelhas deram o tom.

O deputado Domingos Neto(PSD), que votou contra o impedimento de Dilma, afirmou que só um plebiscito resolveria o problema do País.

Danilo Forte (PSB), ex-peemedebista que costumava beijar a mão de Dilma Rousseff quando a presidente vinha ao Ceará, votou pelo impedimento. Ele foi ex-presidente da Funasa/CE no primeiro governo Dilma.

O deputado Genecias Noronha, líder do partido Solidariedade, lembrou seus mais de 200 mil votos, sua cidade natal e votou favorável a abertura de processo de impedimento.

O único cearense ausente a Sessão foi o peemedebista Aníbal Gomes que se recupera de procedimento cirúrgico e sua ausência foi justificada pelo líder do partido deputado Leonardo Picianni.

Confira como votaram os deputados cearenses:
Adail Carneiro (PP) - sim
Ariosto Holanda (PDT) - não
Arnon Bezerra (PTB) - não
Cabo Sabino (PR) - sim
Chico Lopes (Pcdob) - não
Danilo Forte (PSB) - sim
Domingos Neto (PSD) - não
Genecias Noronha (SD) - sim
Gorete Pereira (PR) - abstenção
José Airton Cirilo (PT) - não
José Guimarães (PT) - não
Leônidas Cristino (PDT) - não
Luizianne Lins (PT) - não
Macedo (PP) - não
Moroni Torgan (DEM) - sim
Moses Rodrigues (PMDB) - sim
Odorico Monteiro (PROS) - não
Raimundo Gomes De Matos (PSDB) - sim
Ronaldo Martins (PRB) - sim
Vicente Arruda (PDT) - não
Vitor Valim (PMDB) - sim


Com informações O Povo Online