31 de julho de 2017

Maioria dos cearenses vai votar contra a Temer na Câmara

Maioria dos deputados federais cearenses que anunciaram posicionamento votarão a favor da abertura da denúncia da Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Levantamento feito pelo jornal O POVO aponta que onze dos 22 parlamentares devem votar na próxima quarta-feira (02/07), pela continuidade das investigações. Oito deles anunciaram voto contra a denúncia feita pelo procurador Rodrigo Janot. Dois deputados se declararam indecisos, e um não foi localizado.

Durante mais de um mês em contato com parlamentares, nenhum cearense chegou a mudar o voto. O deputado Domingos Neto (PSD) alega não ter sofrido pressão dos seus eleitores, durante o recesso parlamentar, para aceitar a denúncia.

Contra a continuidade das investigações por considerar os argumentos da PGR “frágeis”, o deputado disse que sentiu “mais apoio do que pressão”. “É evidente que existem muitas insatisfações com tudo o que está acontecendo, mas aceitar a denúncia não é a solução para tudo isso”, argumentou.

Negando também ter sido pressionado por eleitores, o deputado Genecias Noronha (SD) considera não haver fato novo para mudar de posicionamento. "A denúncia é frágil. Qual a novidade nisso (denúncia da revista Época)? A Globo sempre teve acesso a tudo, mas quais as provas? Eu vou estar em Brasília e vou votar contra", disse.

Quando é questionado, o deputado Danilo Forte (PSB) diz que consegue explicar para o seu eleitor o posicionamento contrário à abertura da denúncia. "Quando a gente argumenta a questão da justiça que não pode ser seletiva, fica mais fácil para ter um entendimento", conta. Segundo ele, a maior preocupação do eleitor é a questão econômica e que por isso o Congresso precisa aprovar as reformas para "tirar o País da estagnação".

Com mais facilidade de defender a abertura da denúncia pelo desgaste do governo, a oposição no Ceará avalia que o conjunto de provas é mais do que suficiente para votar favoravelmente.

O deputado Ariosto Holanda (PDT) diz que seus eleitores têm lhe pedido para votar contra o presidente. "Os fatos são muito fortes contra o presidente. Não sei se a base vai conseguir o número de votos suficientes. O meu partido vai fechar questão pela abertura do processo", disse.

Com a máxima “quem pariu Mateus que o embale”, o deputado José Guimarães (PT) disse que a crise foi instalada “por eles” (governo) e que o presidente deve se complicar cada vez mais com a intensificação da crise fiscal no País atrelada às novas denúncias de corrupção envolvendo diretamente Michel Temer.

Com informações O Povo Online