30 de outubro de 2017

Eunício realiza encontro sem partidos da Oposição

O senador Eunício Oliveira comandou evento do PMDB em Solonópole sem a presença de representantes da oposição (Foto: Divulgação)
Em meio a conversas de bastidores que apontam a possibilidade de o senador Eunício Oliveira (PMDB) concorrer à reeleição ao lado do governador Camilo Santana (PT) na mesma chapa, o peemedebista afirmou na manhã do último sábado (28/10) que ainda não formalizou acordos eleitorais para o ano que vem.

“Até o dia de hoje, e tem todo tipo de especulação, o PMDB não fez nenhum tipo de coligação, nenhum tipo de acordo com ninguém da política cearense”, disse o peemedebista durante encontro regional do partido no município de Solonópole.

É a indefinição do senador do PMDB que tem incomodado partidos da oposição ao governador. O presidente estadual do PSDB, Luiz Pontes, cobrou de Eunício na semana passada prazo até o fim de novembro para a decisão sobre quem vai apoiar nas eleições do próximo ano.

“Ele precisa dar um rumo na vida dele. A gente tem que saber se ele vai dar apoio ao Lula ou não”, afirmou Pontes. Na ocasião, o senador chegou a declarar voto em Lula no ano que vem caso a legenda libere alianças locais sem seguir o entendimento nacional nos acordos para 2018.

Enquanto isso, o senador Tasso Jereissati (PSDB) continua avaliando a possibilidade de se candidatar pela quarta vez ao Executivo no ano que vem. Os aliados querem pressa para definir com tranquilidade os acordos para a disputa de 2018.

A aliados, o senador voltou a afirmar que só vai discutir alianças eleitorais no ano que vem. “Alianças políticas nós vamos discutir em 2018. Agora, minha aliança é com o povo do Ceará”, discursou para prefeitos, deputados e militantes do PMDB.

O senador Eunício respondeu ainda o que chamou de “especulações” sobre o encontro regional do PMDB. Com a ausência de nomes de partidos da oposição ao governador Camilo Santana (PT) no evento, o presidente do Congresso Nacional afirmou que a reunião se tratou de um “encontro verdadeiramente peemedebista” e que o momento não é “eleitoral”.

“Eu vi várias especulações no dia de hoje falando sobre o encontro. Esse encontro não é da oposição entre os partidos que não estão aliados ao governo do Estado do Ceará. É um encontro verdadeiramente peemedebista porque ele é o encontro também para fazermos eleição dos membros que vão dirigir o partido no próximo ano”, disse.

Foi primeira reunião do PMDB no ano em que os partidos da oposição no Estado não participaram ativamente. Em outras duas edições do evento, em abril e agosto, o partido conseguiu aglutinar representantes do bloco de oposição ao governador Camilo Santana (PT). A ausência dos partidos no evento ocorre em meio a especulações de aproximação entre o presidente do Senado e o governador Camilo.

O parlamentar destacou ainda a liberação de recursos para projetos para o Estado, como os R$ 400 milhões para a construção dos hospitais de Limoeiro do Norte e Região Metropolitana de Fortaleza, R$ 200 milhões para programas sociais em Fortaleza e R$ 112 milhões para a perfuração de poços profundos no Ceará aprovados pelo Senado.

Com informações portal O Povo Online