14 de outubro de 2017

PSDB reage a críticas de Ciro e secretário tucano Camilo defende Tasso

O PSDB do Ceará reagiu duro a críticas e acusações feitas por Ciro Gomes (PDT) ao líder-mor da sigla no Estado, Tasso Jereissati. Em entrevista exclusiva ao jornal O POVO na tarde de ontem (13/10), o presidente regional do partido, Luiz Pontes, rebateu acusação de que o senador indicou nomes para a gestão Camilo Santana (PT) e criticou “mentiras sem caráter” do ex-aliado.

“Ciro deu uma entrevista mentirosa, fez acusações gravíssimas ao senador Tasso. Ele tem um caráter que se manifesta neste tipo de declarações, que mostram claramente que ele não está preparado para disputar cargo nenhum”.

Pontes nega ainda que o senador tenha feito “qualquer indicação” para Camilo ou Michel Temer. Acusação de Ciro sugere que o tucano Maia Júnior, hoje secretário de Planejamento, foi indicado por Tasso à gestão. “O Camilo foi pedir ao Tasso que liberasse o Maia, e o Tasso disse que isso era uma questão pessoal dele, que não tem nada a ver com o PSDB”, disse o gestor.

Em evento do PDT nesta quinta-feira, Ciro afirmou que possível candidatura de Tasso ao governo seria “traição”, uma vez que o senador teria “cargo” no governo. “Isso é mentira, eu vou cobrar do Camilo, que me parece um homem sério e não vai ficar silente diante de calúnia”.

Até a noite de ontem, não houve qualquer manifestação oficial do governo Camilo Santana sobre o caso. O jornal O POVO apurou, no entanto, que a fala de Ciro causou intenso mal-estar na gestão, sobretudo no Planejamento.

Também em entrevista ao jornal O POVO, o secretário Maia rejeitou ter sido indicado por Tasso para o cargo. “De maneira alguma. Fui convidado pelo governador, não por partido político, e sim pelos méritos profissionais que possuo. O Tasso não tem nada a ver com isso”, diz.

O secretário ainda afirma que jamais falou pelo PSDB na gestão, e fez defesa de Tasso no caso. “O Tasso é uma referência para o Ceará e para o Brasil. O Ceará inteiro sabe o homem reto que ele é e seu apoio sempre lastreado no compromisso ético, moral e pelo espírito público que sempre demonstrou”, diz.

“Não é responsável que eu comente o caso pois estou no governo, recebi um convite para servir ao Ceará. Sou adulto, maduro e respondo por meus atos”, afirma.

Com informações portal O Povo Online