3 de dezembro de 2017

Em busca do Centro Geográfico do Ceará

O jornalista Plínio Bortolotti, em crônica de 2010, escreveu sobre sua visita a Quixeramobim, onde conheceu o monumento que indica, em uma praça da Cidade, o local que seria o Centro Geográfico do Estado do Ceará. E eu imagino que os leitores desta coluna se interessem em saber o que é um Centro Geográfico.

Se você pesquisar na internet, logo verá que há uma variedade de definições relacionadas com esse conceito. Vai encontrar coisas como centro geodésico, centro geométrico, centro de gravidade, todos correlacionados uns com os outros, e que podem coincidir dependendo da figura examinada. 

A definição de Centro Geométrico, por exemplo, diz que é o ponto cuja distância média até os pontos do perímetro de uma curva plana fechada é máxima.

A curva fechada pode, por exemplo, indicar as fronteiras de um país ou estado, em um mapa plano. E o problema será achar um ponto nesse mapa que satisfaça a definição de Centro Geométrico dada acima. Nesse caso, como o mapa é uma superfície plana, o Centro Geodésico coincide com o Centro Geométrico do mapa.

Achar o Centro Geométrico é bastante fácil quando a curva que delimita a área é simples. Em uma circunferência, um quadrado ou um triângulo, o Centro Geométrico é o centro de simetria da figura, e pode ser visualizado facilmente. Mas, se a curva é irregular, como no caso de um mapa, a determinação do centro exige alguns recursos de matemática. Um programa de computador será muito útil, nesse caso.

Mas, se você não tem esse programa e não sabe calcular integrais, não desanime. Existe um método fácil e divertido de localizar o centro do mapa plano de um estado ou país. Comece imprimindo o mapa e colando a impressão em uma folha de papelão. Depois recorte cuidadosamente a figura do mapa pelo contorno. Enfie um alfinete em algum ponto perto da periferia e pendure um fio de prumo no alfinete. Um cordão com algum peso na ponta serve de fio de prumo. Espere que o fio de prumo pare de oscilar e peça a alguém para marcar com um lápis a reta descrita pelo cordão.

Repita o procedimento com o alfinete em outro ponto do contorno, obtendo outra reta que vai cortar a primeira em algum ponto. Só para garantir, repita mais uma vez o processo. A terceira reta, se o experimento foi feito com cuidado, vai passar exatamente pelo ponto onde as duas retas anteriores se cruzam. Esse ponto onde as três retas se cruzam é o “centro de gravidade” do seu mapa recortado. Considerando que a área de interesse é plana e a figura é homogênea, o centro de gravidade encontrado assim coincide com o Centro Geométrico ou Centro Geográfico.

Pois bem, embora o experimento seja bem fácil de fazer, imagino que você não vai ter tempo nem disposição para fazê-lo. Sendo assim, vou adiantar qual seria o resultado de sua experimentação: você iria ver que o Centro Geográfico do mapa do Ceará está na localidade de Domingos da Costa, no município de Boa Viagem.

Boa Viagem?! E onde fica Quixeramobim? Quixeramobim fica a 36 quilômetros do ponto que seu experimento indicou como centro geográfico. Mas, antes que você ligue para a Prefeitura da próspera cidade de nosso Interior, é bom saber um pouco mais sobre esses Centros Geográficos ou Geodésicos.

No início do século 20, o Marechal Cândido Rondon se propôs a determinar o Centro Geodésico da América do Sul. Segundo seus técnicos, seria um ponto equidistante entre o Atlântico e o Pacífico, onde anos depois Caetano Veloso disse que seria o local apropriado para o aparecimento de um índio misterioso. Rondon usou observações astronômicas para determinar esse ponto e concluiu que ele fica na cidade de Cuiabá, que hoje é a capital de Mato Grosso.

Só que o IBGE diz que não existe essa coisa de Centro Geodésico. E é fácil entender as razões para essa negativa. Ao se determinar um ponto relativo de uma região, deve-se levar em conta o relevo, com montanhas e vales, ou deve-se supor que a área é plana? É mais ou menos claro que os dois casos dariam indicações conflitantes.

A maioria dos geógrafos considera que esses supostos Centros são apenas de interesse turístico, sem embasamento científico. Consultando a internet, podemos ver que quase nenhum dos marcos indicando centros geográficos é aceito sem contestação. Mesmo se o centro for determinado em um mapa, é comum haver áreas de litígio entre estados, comprometendo qualquer método de medição.

Mesmo assim, os conterrâneos de Antônio Conselheiro e Fausto Nilo não precisam ficar tristes. Nem devem demolir seu simpático monumento na praça central. Mas, podem passar a dizer que o marco indica o coração do estado do Ceará, pois o coração não está no centro de nossos corpos.

Clique aqui e confira o artigo publicado em 2010.


Publicado originalmente no portal O Povo Online