24 de janeiro de 2015

Cresce a preocupação do brasileiro com a inflação

Entre 2012 e 2014, aumentou de 12% para 29% a proporção de brasileiros que colocam a inflação como uma das três prioridades do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. 

Em 2014, o aumento de preços ficou em segundo lugar entre as necessidades de mudança, empatado com o combate à criminalidade. Dois anos antes, estava em décimo. Os moradores da Região Sul estão mais apreensivos com a inflação. 

Segundo pesquisa do Ibope feita para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), 48% da população acham a inflação um dos principais problemas do país, enquanto, em 2012, pouco mais 29% dos brasileiros tinham a mesma opinião.

De acordo com a CNI, a mudança é motivada pela percepção de que, nos últimos anos, o ritmo de crescimento dos preços aumentou. A posição da inflação no ranking de problemas saltou do décimo sétimo para o quinto lugar no ano passado, atrás das drogas (citadas por 67%), da violência (64%), da corrupção (62%) e da saúde (58%).

O levantamento, feito com 2002 entrevistados em 142 municípios, mostra que 51% dos brasileiros consideram a melhoria nos serviços de saúde prioridade do governo. Outro tema destacado foi o combate à corrupção – o percentual dos que o consideram prioritário subiu de 17% para 24%, entre 2012 e 2014, passando do oitavo para o quinto lugar.

O brasileiro está apreensivo também com o baixo crescimento da economia. O item, que era visto por 26% das pessoas em 2012 como um problema extremamente grave, passou a ser apontado por 32%. A posição desse item no ranking saltou do décimo nono lugar para o décimo primeiro. A preocupação com o desemprego caiu da décima para a décima terceira.

Com informações Agência Brasil