6 de setembro de 2014

ATEA lança campanha em seis capitais brasileiras

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA) lançou ontem (05/09) uma campanha de outdoors em que aborda a influência da religião sobre a política. As peças devem ser exibidas em Porto Alegre, Florianópolis, na grande São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Luís e, como todas as nossas atividades, foram financiadas pelas doações de membros e simpatizantes.


As várias peças da campanha contemplam os dois focos de atuação da entidade, que são a defesa da laicidade do Estado e a luta pelo fim do preconceito contra os ateus. O constante aprofundamento das violações da laicidade do Estado brasileiro tem chamado cada vez mais a atenção da sociedade.

Segundo a direção da entidade a campanha foi lançada no período eleitoral porque nessa época fica ainda mais clara a mistura entre política e religião. Para abordar esse problema, a entidade escolheu os slogans “Não vote com fé, use a razão” e “Sua religião não é nossa lei”.



Como a contaminação religiosa do Estado atinge não apenas os cargos eletivos do executivo e do legislativo, mas também a atuação do judiciário, uma das peças mostra o crucifixo que tem posição de destaque no plenário do Supremo Tribunal Federal, mais alto que o próprio brasão da República e em nicho próprio na parede, deferência que o brasão não recebeu.

As pesquisas de opinião mostram que os ateus estão no topo da escala de rejeição no país, despertando repulsa ou ódio em 17% da população e antipatia em outros 25%. O preconceito tem importante reflexo eleitoral, pois cerca de 2 em cada 3 brasileiros jamais votaria em um ateu, o que efetivamente barra qualquer representação política do ateísmo. “É por isso que achamos importante lembrar, à sociedade e a nós mesmos, a força dos nossos números” disse o presidente da entidade Daniel Sottomaior.



O slogan “Ateus: somos 2 milhões de eleitores”, é uma recado direto para os candidatos que têm feito romaria em busca de apoio nas mais variadas igrejas, mas não estão interessados em escutar os ateus. E também serve para os muitos ateus que ainda não entenderam a importância de se unir em torno de causas comuns, de se associar à ATEA ou de financiar nossas atividades.


Publicada originalmente no portal da ATEA