22 de junho de 2017

"A Rede Paic pelo Ceará" por Izolda Cela

Sim, há muito a comemorar nestes 10 anos de Paic, desde seu início como Programa de Alfabetização na Idade Certa, em 2007. Partimos de uma dramática situação de analfabetismo escolar no Ceará, evidenciada pelas pesquisas realizadas no âmbito do Comitê Cearense pela Eliminação do Analfabetismo Escolar. 

O inaceitável analfabetismo das crianças ao longo do ensino fundamental (sim, elas estavam na escola) tinha conexões com as fragilidades dos processos relativos à alfabetização de crianças tanto nas instituições formadoras de professores quanto na própria escola e suas redes. Somada a isso, a ausência praticamente generalizada de responsabilização nas gestões públicas pelos resultados de aprendizagem.

Buscar culpados? Absolutamente. Seria certamente injusto e, principalmente, improdutivo atribuir o peso desta tragédia silenciosa a um único ator. Responsáveis? Todos. E uma das estratégias de êxito do Paic é exatamente o fato de pôr em movimento uma grande rede de educadores, gestores técnicos e políticos, parceiros, comunidade local (famílias e outros) em prol do sucesso da aprendizagem das crianças na idade certa. Idade certa? Sim, exatamente aquele período em que a criança, se adequadamente estimulada, tem as competências necessárias para exercer os primeiros atos de leitura e escrita com autonomia, independente de sua condição econômica ou étnica. Se a criança não aprende a ler com proficiência, o seu processo de escolaridade segue com grande prejuízo.

O trabalho desta rede vem se firmando principalmente no regime de cooperação entre Governo do Estado e Municípios cearenses. A coordenação da Secretaria da Educação (Seduc) se estrutura em ações relacionadas à melhoria da gestão das secretarias e das escolas, da avaliação e monitoramento, da ação pedagógica em sala de aula, e da política de educação infantil. Os municípios cearenses foram protagonistas do progressivo movimento de melhoria dos resultados de aprendizagem das crianças. Sim, elas aprendem! Para isso, só são necessários decisão política, a organização dos processos de ensino e o compromisso cívico.

Sim, ainda há muito, muito a fazer! Para isso segue o Mais Paic (Programa de Aprendizagem na Idade Certa). Se o Ceará, estado nordestino com alto nível de pobreza, começa a surpreender pela vigorosa melhoria nos resultados da base escolar, grandes desafios ainda nos convocam. A boa notícia é saber que podemos. Não é passe de mágica, não é com a velocidade dos nossos sonhos... mas é no chão da realidade do trabalho, da competência e compromisso de uma grande rede que seguiremos contribuindo para a transformação do nosso Ceará.

Publicado originalmente no portal O Povo Online