28 de janeiro de 2018

A esperança que move o nordestino

Nuvem na Lagoa Seca, Zona Rural de Altaneira (Foto: José Evantuil)
A semana que passou foi tempo do cearense olhar para o céu. De encher o coração de alegria pelas alvíssaras que vieram da Funceme. Em 2018, a previsão acena com 40% de chances de chuvas acima da média histórica no Ceará. Não existia esperança tão nítida há seis anos. Tempo que veio a seca pelas bandas de cá, deixando as águas escassas, terras esturricadas, rios sem cheia, a alma entristecida, porém, nunca sem fé.

Janeiro, que está no finalzinho, já trouxe uma nesga de expectativa com as chuvas esparsas registradas em algumas regiões. Não é ainda como o cearense queria, mas as notícias de tempo melhor já se espalham em grupos de WhasApp e já se avisa, em postagem no Facebook, de céu bonito, de água escorrendo nos telhados ou de sereno molhando a terra.

Não se pode esquecer, porém, que os açudes estão sem aporte necessário e que as águas de janeiro só foram suficientes para deixar a terra menos seca e mudar um pouco a paisagem do Sertão.O verde volta aos poucos.

Quando fevereiro chegar, na quinta-feira próxima, início oficial da quadra chuvosa, estaremos todos, de novo, cheios de esperança. Mas ainda não será época de desperdício. A Funceme avisa que as chuvas boas devem ser registradas em março, mês de São José, padroeiro do Ceará. Mas mesmo que assim não seja, vamos continuar esperando em abril, maio.. É assim a alma sertaneja.

Com informações portal O Povo Online