17 de janeiro de 2018

Cid e a construção da plataforma de Ciro por Érico Firmo

Dentro do projeto nacional dos Ferreira Gomes, o ex-governador Cid Gomes (PDT) publicou artigo no site da revista Carta Capital no qual, essencialmente, defende as bases da pré-canditadura presidencial de Ciro Gomes (PDT).

O texto trata de situar Cid Gomes no plano nacional. O espaço de artigos é comumente ocupado por Ciro, na busca de dialogar com segmentos de centro-esquerda, sobretudo no Sudeste. 

Cid relembra a passagem pelo Ministério da Educação e, sobretudo, o embate com Eduardo Cunha (MDB-RJ), que lhe custou o cargo. Ressalta a posterior prisão de Cunha, “o mesmo que enfrentei em 2015”, conforme enfatiza.

Além disso, ataca as atuais forças governistas, de forma dura. “(...) ajuntamento de corruptos se prepara para as eleições de 2018. Eles não vão querer largar o osso e usarão das piores táticas para fraudar ou impedir um pleito justo”.

Critica ainda a postura do governo Dilma Rousseff (PT) no episódio com Cunha. “Infelizmente, naquele momento, o governo brasileiro, eleito pela maioria do povo, sucumbiu à chantagem”

Curiosamente, ele oferece releitura de sua saída do governo, já que, à época, divulgou-se que ele entregou o cargo. Obviamente, ele foi demitido.

A partir daí, ele defende a plataforma do irmão para presidente, a partir dos pilares:
1) Resolver o endividamento das empresas;
2) sanear as finanças públicas para o governo voltar a investir;
3) fortalecer a indústria nacional.

Mais que o conteúdo, o texto é um novo passo da família, articulado, em sua última chance de se firmar como alternativa de poder no âmbito nacional.

Publicado originalmente no portal O Povo Online