23 de novembro de 2017

Sergio Moro é vaiado por cearenses durante congresso em Curitiba

Grupo de juristas cearenses encabeçou protesto contra o juiz federal Sergio Moro, durante XIV Congresso Brasileiro dos Procuradores Municipais (CBPM), em Curitiba (PR), na última terça-feira, (20/11). Segundo o movimento, cerca de 40 juristas se retiraram da palestra de Moro após as vaias. 

A crítica é de que a presença de Moro serviu de “palanque para suas ideias” e que ele “desrespeita direitos da advocacia”. Organização do congresso nega “partidarização”. Caso teve repercussão nacional.

Conforme o procurador municipal Guilherme Rodrigues, o Coletivo Juristas pela Legalidade e pela Democracia do Ceará tomou a frente do ato, levando três faixas ao evento – “Vergonha” escrita nelas –, e a ideia inicial era fazer “protesto silencioso”, sem vaias ao juiz responsável pelos julgamentos em 1º instância da Operação Lava Jato.

A ideia logo foi abandonada após “dificuldade criada pela organização” do Congresso para barrar a entrada de faixas. “Ameaçaram chamar a polícia. Dissemos que iríamos apenas estender as faixas e nos retirar, porque não tínhamos interesse nenhum em ouvi-lo”, contou Guilherme, membro da executiva do Coletivo.

Guilherme também tece críticas à Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM), organizadora do evento, da qual foi presidente entre 2012-2014. “Aparelharam a entidade para colocar no palco um juiz que não respeita direitos dos advogados e não falou nada do tema proposto”, argumentou o procurador.

Atual presidente da ANPM e membro da mesa da palestre de Moro, Carlos Mourão alega não ter ouvido vaias, apenas “aplausos”. “Convidamos várias pessoas (para o congresso). Discutimos como Moro a experiência do combate à corrupção, preventivamente. Não foi para outra questão. A tônica foi essa”, complementou.

Ele afirma que a administração do local, o Teatro Ópera de Arame, evita entrada de materiais “como guarda-chuvas, vidros” para a segurança dos convidados e do juiz federal.

Com informações portal O Povo Online