6 de outubro de 2018

Candidatos apostam últimas fichas no Nordeste


Diante do avanço do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) no Nordeste, como indicam as últimas pesquisas de intenção de voto, a região tem atraído investidas de outros presidenciáveis hoje, último dia permitido para realização de campanha eleitoral. Na tentativa de garantir vaga no segundo turno, os candidatos pelo PT, Fernando Haddad, e pelo PDT, Ciro Gomes, cumprem agenda hoje na Bahia e no Ceará, respectivamente.

Na última quinta-feira (04/10), Bolsonaro fez uma investida para tentar melhorar seu desempenho no eleitorado do Nordeste. Em entrevista à Rádio Jornal do Commercio, do Recife (PE), Bolsonaro prometeu, se eleito, concluir obras na região e aumentar o benefício do Bolsa Família. Também disse que vai trabalhar em parceria com governadores de esquerda e chegou a lamentar o drama vivido pelo ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato.

Bolsonaro também aproveitou a entrevista para criticar Haddad. "Peço para o nordestino que tem parente ou amigo em São Paulo para ligar para ele e perguntar sobre o prefeito Haddad, que foi tão mal em São Paulo, que perdeu no primeiro turno para o (João) Doria. Ele (Haddad) agora está servindo um homem que poderia ser um grande presidente, mas o Lula está colhendo o que ele plantou, lamento que ele esteja preso", disse.

Aos ouvintes da emissora, Bolsonaro ainda afirmou que a filha dele tem "sangue nordestino" e prometeu priorizar a segurança hídrica na região, além  de manter e aumentar o valor dos programas sociais como o Bolsa Família.

Após a ofensiva do militar, a campanha de Haddad, que tinha o plano de focar a região Sudeste, neste sábado, resolveu de última hora alterar a agenda do candidato.

Na manhã de hoje (06/10), o petista, que está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, fará caminhada em Feira de Santana, a maior cidade do interior da Bahia, ao lado do ex-ministro Jaques Wagner (PT). Também participará da atividade o governador da Bahia Rui Costa (PT), que lidera nas pesquisas de intenção de voto e pode garantir a reeleição ainda no primeiro turno.

O Nordeste é a única região em que Bolsonaro, líder nas pesquisas, aparece atrás do candidato do PT. Antes, o plano de Haddad era focar o Sudeste no último dia de campanha. Ele tinha atividades previstas em São Paulo, maior colégio eleitoral do País.

Ontem (05/10), em Minas Gerais, Haddad afirmou que Bolsonaro se esconde nas redes sociais e que quer que o oponente debata "frente a frente". Ao lado do candidato à reeleição pelo PT ao governo de Minas, Fernando Pimentel, da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que disputa vaga ao Senado pelo Estado, e da vice Manuela d'Ávila (PCdoB), o ex-prefeito de São Paulo participou de ato público em Venda Nova, Belo Horizonte.

Sobre a possibilidade de a disputa ir para o segundo turno, o petista disse que "a expectativa é que ele (Bolsonaro) debata". "Frente a frente. Olho no olho. Ao invés de usar as redes sociais para se esconder", afirmou. Haddad disse ainda que a campanha vai "atuar nas redes sociais contra a difamação e a injúria".

Por meio de carta escrita à mão, Lula, que comemora seu nascimento hoje, pediu como presente de aniversário que o povo brasileiro vote amanhã em Haddad. Uma fotografia do documento foi publicada no perfil oficial de Lula no Twitter. Haddad compartilhou a postagem em suas redes sociais com uma resposta ao ex-presidente: "Amanhã se completam 73 anos do nascimento do maior líder brasileiro da História".

Ciro Gomes (PDT) realiza hoje (06/10), às 9 horas, carreata em Fortaleza e, às 16 horas, caminhada em Sobral. Ele e demais presidenciáveis tentam 'furar', na reta final, a polarização entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Em busca de se cacifar para garantir uma vaga no segundo turno, Ciro disse que Haddad "não tem energia e autoridade" para ultrapassar Bolsonaro. O presidenciável do PDT - terceiro colocado na última pesquisa do Datafolha, com 11% das intenções de voto - minimizou seu desempenho e disse que "a virada é completamente provável" no pleito de amanhã.

As declarações de Ciro foram dadas na favela da Rocinha, zona sul do Rio, onde o ele realizou um ato de campanha debaixo de chuva. Ao falar sobre Haddad, Ciro repetiu a estratégia de bater no desempenho eleitoral do petista nas eleições de 2016, quando ele perdeu a disputa à reeleição para João Doria, do PSDB, no primeiro turno, algo inédito na cidade.

"Eu nunca perdi no meu lugar (Ceará), nunca, nenhuma vez, e tenho honra, felicidade e gratidão por isso. E o Haddad disputou a última eleição há menos de dois anos e perdeu para um farsante como o Doria em todas as zonas de São Paulo", afirmou.

"Ele não é má pessoa, eu não tenho nada contra a personalidade dele, mas ele não tem a energia, não tem a autoridade que é a marca para enfrentar essa onda fascista que quer tomar conta do Brasil", disse Ciro.

Com informações portal O Povo Online

Leia também: