26 de outubro de 2018

Com Ciro Haddad acredita na virada e Cid organiza ato para receber Ciro

O candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), declarou ontem (25/10) que tem feito esforço para aproximar Ciro Gomes (PDT) à candidatura dele contra Jair Bolsonaro (PSL). 

“Todas as tentativas que eu podia fazer, eu fiz, e todas que eu posso fazer, farei. Eu tenho a maior admiração pela trajetória do PDT desde a sua fundação, tenho uma relação de amizade com o presidente (do PDT) Carlos Lupi e com os irmãos Ferreira Gomes, tanto o Cid quanto o Ciro”, disse.

O ex-prefeito de São Paulo evitou confronto com Cid Gomes (PDT) em meio a críticas diretas. Ainda no primeiro turno, Haddad não rebateu as investidas de Ciro em todas as vezes que o cearense atacou o petista. Na reta final do segundo turno, o movimento do PT continua sendo o de aproximação.

“Eu liguei para dizer o que talvez ele não esteja acompanhando. Avisei para ele ‘está virando, tem uma onda legal acontecendo no País’. Comuniquei, é a minha obrigação. Se eu pretendo presidir o País, tenho de ter esse tipo de comunicação fácil com as pessoas”, disse o petista ao declarar que tem conversado com Lupi nos últimos dias.

O discurso da “virada” é motivado pela pesquisa Ibope que mostrou no início da semana uma queda na diferença entre as duas candidaturas. “Ele (Lupi) é uma pessoa que eu considero, foi meu colega de Ministério, assim como Ciro foi ministro comigo, o Cid foi governador na época que eu era ministro. São pessoas que sabem o que está em jogo no Brasil”.

Ainda em coletiva de imprensa em São Paulo, ontem, Haddad rebateu questionamentos sobre a tentativa do petista de se aproximar de Ciro, que ficou em terceiro lugar no primeiro turno. “Sabe o que é engraçado? Quando eu falo muito dele perguntam ‘por que você está falando dele, quer colar sua imagem a dele?’. Quando eu eventualmente não falo, perguntam isso. Ninguém tem dúvidas da minha relação com ele”, declarou.

O ex-governador e senador eleito Cid Gomes organiza para hoje um ato recepcionar Ciro Gomes que depois de duas semanas em viagem pelo Exterior, volta hoje ao Ceará. Recebendo cerca de 13 milhões de votos, o ex-governador retorna ao Brasil e acende expectativas da campanha de Fernando Haddad (PT) para um aceno mais incisivo.

No entanto, a expectativa é que qualquer declaração que seja feita por Ciro ainda ocorra em tom crítico, assim como fez o ex-governador Cid Gomes (PDT) no primeiro ato pró-Haddad no segundo turno, organizado pelo governador Camilo Santana (PT).

O presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, disse ao O POVO que não há acertos de que Ciro fará gravações em apoio a Haddad, mas sim declarações críticas favoráveis ao petista, assim como se comportou a legenda logo após o encerramento do primeiro turno.

"Ele deve afirmar o repúdio a Bolsonaro e voto crítico ao Haddad", opinou o ex-ministro. A festa de recepção que ocorrerá hoje à noite no aeroporto de Fortaleza é um momento de "demonstração de carinho" e de apoio para o pleito de 2022, disse Lupi.

 O presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, disse que o ato "é uma mobilização dos parlamentares, amigos, para receber Ciro". "É mostrar que nós do Ceará estamos com ele e queremos reforçar que a nossa crença é no projeto que ele coordene", destacou o parlamentar reeleito.

Com informações portal O Povo Online

Leia também: