28 de outubro de 2018

Em vídeo Ciro pede voto "a favor da democracia"

Ciro Gomes em pronunciamento no Facebook (Imagem capturada do vídeo)
Ciro Gomes (PDT), candidato com terceira maior votação no primeiro turno para a Presidência, frustou mais uma vez aqueles que ainda aguardavam um posicionamento explícito a favor da candidatura de Fernando Haddad (PT). Desta vez, o discurso foi realizado em transmissão no Facebook.

De volta após duas semanas na Europa, o cearense se pronunciou na tarde de ontem, um dia antes do segundo turno das eleições. Contudo, mesmo que o PDT tenha declarado "apoio crítico" ao candidato petista, Ciro não fez nenhuma referência quanto ao próprio voto.

No vídeo, ele pede que os eleitores possam fazer sua escolha "compreendendo a necessidade de votar com a democracia, votar contra a intolerância, votar pelo pluralismo", mas que ninguém seria "obrigado a votar contra convicções e ideologias".

"Claro que todo mundo preferia que eu tomasse um lado, mas eu não quero fazer isso por uma razão muito prática, que eu não quero dizer agora. Porque se eu não posso ajudar, atrapalhar é o que eu não quero", afirmou.

Ciro Gomes disse ainda que é necessário preservar um caminho que a população brasileira possa ter uma referência para enfrentar os dias terríveis que ele imagina que estão se aproximando. "Nada de medo".

Aliado do pedetista, o governador reeleito do Ceará, Camilo Santana (PT), preferiu se esquivar sobre a falta de posicionamento de Ciro. Em ato pró-Haddad, ele respondeu apenas que o ex-presidenciável "defende tudo que a gente defende: democracia, liberdade, justiça social". Indagado novamente, o governador desconversou.

O coordenador da campanha de Haddad no Estado, o deputado federal José Guimarães, garantiu que, para o PT, essa questão é "página virada". "O Ciro faz o que achar correto. Nós vamos ganhar a eleição, com Ciro ou sem Ciro", reforçou.

Antes da publicação do vídeo de Ciro Gomes, Fernando Haddad já havia se manifestado sobre o assunto, mas sem citar o pedetista. O petista afirmou que convidou "todos os democratas" a estarem com o PT. "Infelizmente, nem todo mundo tem a coragem de admitir o risco que ele (Bolsonaro) realmente representa para o País".

O jornal O POVO procurou o presidente do PDT, Carlos Lupi, e o deputado federal André Figueiredo para comentar as declarações do pedetista, mas as ligações não foram atendidas até o fechamento desta edição.

Com informações portal O Povo Online