19 de novembro de 2015

Para Aécio "Ponte para o Futuro" do PMDB é ficção

O senador mineiro Aécio Neves (PSDB) reagiu ontem (18/11) à tentativa de setores do PMDB ligados ao vice-presidente Michel Temer de se credenciar como porta-vozes de uma agenda de austeridade na economia para tirar o país da atual crise.

O Presidente nacional dos tucanos disse que "levaria mais a sério" a proposta do PMDB se o partido "deixasse os sete ministérios que ocupa no governo para defender", ao lado da oposição, as ideias que apresenta no documento intitulado "Ponte para o Futuro".

O texto foi debatido no congresso promovido pela Fundação Ulysses Guimarães, centro de estudos do PMDB, na última terça-feira (17/11). Nele, a sigla atribui as dificuldades atravessadas pela economia a excessos cometidos no primeiro mandato de Dilma e defende políticas austeras, incluindo cortes de gastos e uma reforma na Previdência.

Aécio insinuou ainda que o PMDB se apropriou de propostas feitas pelos tucanos durante a última eleição presidencial, quando o mineiro foi candidato ao Planalto.

O tucano disse ainda que, "enquanto o PMDB integrar o governo federal, esse programa passa a ser algo secundário".

Com informações O Povo Online