19 de janeiro de 2017

Funceme aponta chance de chuva dentro da média no Ceará

O presidente da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Eduardo Sávio Martins, afirmou ontem que há 40% de chance de chover dentro da normalidade no Estado.

O prognóstico, divulgado ontem, informa ainda que a probabilidade de chover acima da média histórica (607,5 milímetros) é de 30%. Já as chances de precipitações abaixo da média também são de 30%. No ano passado, houve 65% de chances de quadra chuvosa ruim.


Por outro lado, quando trata especificamente do noroeste e do sudeste do Estado, as previsões são de: no noroeste, 25% de chance de chover abaixo da média, 35% em torno da média e 40% acima; já no sudeste, é possível ter 35% de chuvas abaixo da média, 40% em torno dela e 25% acima.

Se confirmado o prognóstico, o Estado aliviará o peso dos cinco anos consecutivos de seca. Mas, contrariando o que se costuma pedir quando as chuvas alagam os grandes centros urbanos e causam transtornos, pode ser que as precipitações não recarreguem satisfatoriamente os grandes reservatórios, o que mantém em alerta órgãos responsáveis pela gerência das águas. Mesmo assim, racionamento em Fortaleza e na Região Metropolitana continua descartado pelo Governo.

“Não podemos sair do estado de alerta”, afirmou o secretário estadual dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira. Ele avaliou que as chuvas dentro da média podem encher mananciais pequenos e até melhorar os de médio porte, mas, para recuperar outros maiores e mais estratégicos como Castanhão e Orós, que hoje operam com 5% e 12,96% do seu volume total, respectivamente, seriam necessários muitos dias de chuvas.

Eduardo Sávio também pontuou que, antes de chegar a encher os grandes reservatórios, as chuvas teriam de realimentar o lençol freático, visto que as condições de umidade do solo estariam muito baixas. “Toda essa água tem de ser absorvida pelo solo antes de gerar escoamento”, explicou.

Na busca por alternativas de abastecimento, será inaugurado pelo governador Camilo Santana (PT), na próxima segunda-feira, 23, aquífero que deve atender ao Complexo Industrial do Pecém. Também está em estudo, segundo Francisco Teixeira, outro aquífero na Taíba, onde há previsão de encontrar vazão de 600 litros d’água por segundo.

Embora as previsões para a quadra deste ano sejam menos pessimistas, preocupa a possível formação do El Niño no segundo semestre. “Tendo ou não, vamos continuar demonstrando a importância do projeto da transposição do (rio) São Francisco”, pontuou Teixeira.


Com informações O Povo Online