4 de outubro de 2018

Tasso diz que críticas de Camilo são falsas e levianas


O senador Tasso Jereissati (PSDB), através de nota à imprensa, respondeu às críticas do governador Camilo Santana (PT). Durante debate realizado na última terça-feira (02/10)  pela TV Verdes Mares, o petista declarou que o tucano não "ajudou em nada" o governo na atual gestão.

"Desde que assumi meu segundo mandato de senador, em fevereiro de 2015, recebi por inúmeras vezes o governador em meu gabinete, sendo absolutamente solidário a todos os seus pleitos em relação ao Ceará. Ao longo de todo esse tempo mantivemos uma relação de inteira colaboração, em tudo que se fez necessário para a defesa dos interesses do Estado", escreveu o senador.

Na nota oficial, o senador tucano chama a declaração do governador petista de "falsa" e "leviana".

O tucano ainda sai em defesa do correligionário do governador, o senador José Pimentel (PT). De acordo com Tasso, Camilo cometeu "deslealdade" com a postura de Pimentel no Parlamento. "Em relação à minha pessoa, o governador revelou falsidade. Em relação ao senador José Pimentel, seu companheiro de partido, revelou deslealdade", continuou.

A nota intitulada "Em respeito ao povo cearense" revela ainda conversas particulares em que, segundo Tasso, o governador reclamava que Eunício Oliveira (MDB) criava obstáculos aos projetos do Ceará, enquanto estava na oposição ao Palácio da Abolição.

"A leviandade das afirmações do governador entretanto, me obriga, a bem da verdade, a trazer a público conversas particulares que mantivemos, em que ele, pessoalmente, me relatava que um outro senador do Ceará, seu então adversário e agora aliado, em tudo tentava obstaculizar projetos do interesse do Ceará, apenas para prejudicar seu governo", diz o texto.

Questionado sobre as palavras do senador, durante ato com apoiadores na noite de ontem, no comitê central, o governador Camilo Santana (PT), em tréplica, manteve as declarações e reafirmou que o tucano, objetivamente, não ajudou em nada o Ceará.

"Me mostre, objetivamente, qual ajuda dele para o Estado do Ceará nesses três anos e nove meses que eu sou governador. Não há. Me levou uma vez ao ministro das Cidades. Me receberam uma vez, mas não resolveram nada", respondeu Camilo.

O governador, que tenta reeleição, voltou a argumentar que, "objetivamente", foi o que quis dizer. "Ali foi um momento em que eu justifiquei porque estava apoiando o Eunício. Porque o Eunício foi o único senador que ajudou ao governo e ajudou ao Ceará a liberar os recursos lá em Brasília. Ponto final. Não estou querendo criar nenhuma polêmica", finalizou.

Ainda no início do governo, Camilo e Tasso chegaram a realizar agendas conjuntas e trocar elogios.

O senador Eunício Oliveira (MDB), através da assessoria de imprensa, disse que não comentaria o assunto.

O jornal O POVO também procurou o senador José Pimentel (PT), citado por Tasso em nota oficial, mas até o fechamento desta página a assessoria de imprensa não conseguiu contato com o parlamentar petista.

Com informações portal O Povo Online