17 de fevereiro de 2014

Em caso de rompimento, Guimarães diz que PT fica com Pros

Guimarães durante plenária regional do PT em Sobral (Foto: Blog do Campo Democrático)
Os sinais de racha na atual aliança que sustenta o Governo do Estado ficam cada vez mais evidentes e o rompimento parece questão de tempo. Mesmo com as articulações ainda em curso, o deputado federal José Guimarães – principal articulador do PT no Ceará – já avisa que, caso não haja entendimento, o partido vai ficar ao lado do Pros. É a primeira vez que a preferência pelo partido do governador Cid Gomes é declarada abertamente. O senador Eunício Oliveira (PMDB), que pretende ser candidato a governador, interpreta a postura de Guimarães como sinal de rompimento e diz que vai levar as declarações ao conhecimento do partido.

“Vamos trabalhar para pacificar a aliança. Mas, se não der para todo mundo sair unido, podem ter certeza de que PT e Pros estarão junto nas eleições deste ano”, disse Guimarães, durante plenária regional do PT em Sobral, sábado. Até então os discursos vinham sendo mais cautelosos e nem cogitavam quebra na aliança.

Desta vez, o deputado citou seu recente encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para defender que a prioridade é o apoio ao governador. “O Lula me disse que a Dilma (Rousseff, presidente) deve ser grata e apoiar o Cid. Não se trata de abdicar do poder aqui no Estado. Temos um projeto estratégico nacional que é muito mais importante”, afirmou.


O parlamentar argumentou ainda que a parceria entre Cid e Dilma “tem dado certo” e deve continuar. “Nosso papel prioritário é consolidar essa aliança, e a nossa posição é clara”, enfatizou.

O senador Eunício Oliveira (PMDB) reagiu duramente à fala do deputado. Segundo ele, o posicionamento do petista significa que a presidente Dilma Rousseff e seu partido “não precisam do PMDB” para as eleições de outubro.

“Na hora que eu pegar essa declaração, que isso for tornado público, vou levar para o meu partido. Tudo bem. Tem tanta gente querendo o PMDB...”, destacou o peemedebista, deixando claro que a postura de Guimarães pode ter reflexos negativos para a aliança nacional entre as siglas.

A relação entre Eunício e PT já vinha dando sinais de abalo nas última semanas. O senador chegou a se reunir com Dilma, que teria oferecido a ele o Ministério da Integração como forma de agradar o PMDB e, ao mesmo tempo, tirá-lo da disputa pelo Governo do Estado. Eunício diz que recusou o convite.

Com informações O Povo Online