2 de fevereiro de 2014

Sindicato discute projeto do prefeito com categoria e Secretário desmente informação

Diretoria do SINSEMA, vereador Adeilton, Secretário Ariovaldo e presidente Leila (foto: João Alves)
Foi postada na tarde de ontem (01/02) na linha do tempo do perfil do Sindicato SINSEMA na rede social Facebook que foi realizada, no mesmo dia, reunião com a categoria de servidores municipais ocupantes dos cargos porteiros, copeira, zeladores e vigia, que segundo informações totalizam 65 ao todo. 

Estiveram presentes na reunião o Secretário de Administração e Finanças, Ariovaldo Soares, os vereadores Antonio Leite, Gilson Cruz, Professor Adeilton e a presidente da Câmara, Lélia de Oliveira e alguns servidores municipais.

O projeto de lei do Executivo, disciplina que a critério da Administração os servidores ocupantes dos cargos porteiros, copeira, zeladores e vigia poderá desempenhar as funções de auxiliar de serviços gerais.

Informa a Nota que "os servidores falaram que não viam nenhuma vantagem com mudança, visto que as atribuições de um porteiro são bem diversas da de uma copeira a vice-versa", "temiam que numa atitude reprovada de algum administrador, sofressem perseguições" e que "alguns servidores já alocados por acordo disseram que estavam satisfeitos realizando tarefas em outro setor".

Na Nota consta também a informação de que “após ouvir todos os argumentos, inclusive da presidente da Câmara Lélia e do vereador Gilson o secretario disse que ia reaver com chefe do poder executivo uma possível retirada do artigo 2° da Lei” (SIC).

No início da manhã de hoje o Secretário Municipal de Administração e Finanças, Ariovaldo Soares Teles, desmentiu a informação constante da Nota do SINSEMA, no que diz respeito a uma intermediação nossa junto ao Prefeito Municipal para retirada do artigo 2º. do PL em questão, informando que “o texto não condiz com a verdade dos fatos”, cita inclusive que a reunião foi gravada pelo Garoto Beleza, João Alves. “Reafirmo a posição do executivo da necessidade da aprovação da legislação na sua totalidade”, comentou o Secretário.