23 de março de 2015

Aécio tentará aproximação com ativistas anti-Dilma

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), avisou a aliados que vai começar a trabalhar para aproximar institucionalmente seu partido dos movimentos que lideram a organização de atos contra o governo da presidente Dilma.

Siglas do campo da oposição já atuam nesse sentido, como o Solidariedade, do deputado Paulinho da Força e o PPS de Roberto Freire.

A ideia de Aécio é lançar mão de interlocutores naturais para fazer a aproximação. Mulher e filha do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), por exemplo, já estavam engajadas em diversas frentes de organização do ato do último dia 15. Ele deve aproveitar ainda a ligação pessoal que tem com artistas e personalidades que cederam suas imagens e gravaram mensagens de convocação para os atos, como o empresário Marcos Buaiz.

A proposta é que esses nomes façam uma ponte, marcando encontros reservados entre Aécio e os integrantes dos movimentos. A execução da tarefa pode não ser fácil.

O Movimento Brasil Livre (MBL) critica abertamente a postura dos tucanos, atribui ao partido uma oposição "frouxa" ao governo petista e rechaça qualquer estreitamento com a sigla.

Com informações O Povo Online