14 de março de 2015

Protesto em Fortaleza vira ato em defesa do governo Dilma

Apesar das críticas a ações do atual governo, a maioria dos participantes da manifestação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Fortaleza, ontem (13/03), rebateu os pedidos de impeachment e saiu em defesa da presidente Dilma Rousseff (PT). 

Os discursos cobraram ainda a reforma política e defenderam o fortalecimento da Petrobras. Amanhã, outro grupo de manifestantes ocupará as ruas de Fortaleza, pedindo a saída da presidente. 

Houve protestos em 23 capitais brasileiras. De acordo com a CUT-CE, cerca de três mil pessoas estiveram no ato na Avenida Desembargador Moreira. Para a Polícia Militar, o número foi de 400 participantes.

O tom das manifestações foi a defesa da Petrobras e a crítica a ajustes fiscais, que alteram direitos trabalhistas e previdenciários. Dezenas de movimentos e sindicatos aderiram à caminhada com bandeiras que iam desde a defesa da presidente ao pedido de redução no custo da energia.

A presidente da CUT-CE, Joana D’arc Barbosa, negou que a intenção do movimento fosse fazer defesa do atual governo. Mesmo assim, muitas pessoas vestiram camisetas com o nome da presidente e levaram cartazes com frases como “Xô, golpistas”, “Impeachment é meuzovo” e “o voto é legítimo, fica Dilma”. Houve vaia a quem fará protesto pelo impeachment no domingo.

O estudante de Direito, Anderson Campelo, 21, participou da manifestação. Criado em família com trajetória de militância política, Anderson defendeu que é necessário reconhecer os avanços para as classes mais pobres nos últimos anos e respeitar o que diz a Constituição sobre a soberania do voto.

Para a presidente da CUT-CE, o movimento em Fortaleza superou as expectativas. “Automaticamente esse movimento ganhou muito força pelas iniciativas de pedir a volta da ditadura militar e tentar encerrar um processo de democracia que está sendo construído”, completou a secretária de relações do trabalho da CUT, Graça Costa.

A manifestação foi pacífica e contou com o apoio da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) para orientar os desvios na avenida. Um grupo de jovens chegou a pichar o muro de um estabelecimento e o Batalhão de Choque foi acionado, mas não houve conflito. Amanhã, o protesto “Impeachment Já!” acontece às 10 horas, na Praça Portugal.

Com informações O Povo Online