6 de março de 2015

Altaneirense é premiada em Brasília

A altaneirenses Maria Silvania de Andrade, popularmente conhecida como Silvania dos Bolos foi uma das três grandes vencedoras do Premio Sebrae Mulher de Negócios 2015. Silvania recebeu o Troféu Ouro na categoria Microempreendedor Individual (MEI).

As empreendedoras foram selecionadas entre mais de 11,4 mil inscritas, que tiveram seus negócios avaliados por uma comissão ao longo do último ano. A homenagem foi entregue na manhã de ontem (05/03), durante evento na sede do SEBRAE em Brasília. 

O prêmio, criado em 2003, reconhece fundadoras de empresas inovadoras, com potencial de crescimento e que causam impacto na sociedade em que estão. A ideia por trás da iniciativa é incentivar e ajudar a profissionalizar o empreendedorismo feminino. As vencedoras recebem 16 horas de consultoria gratuita com o Sebrae e uma viagem internacional para conhecer empresas e visitar feitas. O destino das ganhadoras deste ano ainda não foi decidido pela organização da iniciativa.

Para Luiz Barretto, presidente do Sebrae, o prêmio é um reconhecimento pelas trajetórias de mulheres que conseguiram superar adversidades geográficas e o preconceito de gênero. “Essas empreendedoras, com seus exemplos, servem de estímulo para outras tantas mulheres que sonham em abrir uma empresa, mudar de vida e transformar a realidade de suas famílias e da sua comunidade”, diz.

Atualmente, segundo dados da consultoria Serasa Experian divulgados na última semana, 8% de todas as mulheres do país são empreendedoras – um total de 5,7 milhões. De todos os donos de empresas no país, o estudo mostrou que 43% são do sexo feminino.

Outro número importante para entender o cenário no qual o prêmio do Sebrae está é o do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), a maior pesquisa sobre empreendedorismo do mundo, que aponta: entre os novos negócios (empresas de até três anos), 54% foram fundados por mulheres.

“As mulheres já são maioria entre os novos empreendedores. Por isso, incentivamos muito o foco na gestão. Queremos ver não só essas empresas nascerem, mas se perpetuarem, virarem um legado”, diz Francisco Teixeira Neto, especialista em projetos da FNQ. Todas as inscritas receberam um diagnóstico das empresas feito pela própria fundação.

O prêmio é dividido em três grandes categorias: Microempreendedor Individual (MEI), Pequenos Negócios e Produtora Rural. Para participar da disputa, é preciso que a empresa seja liderada por uma mulher e que esteja registrada formalmente. Então, a empreendedora deve  escrever e enviar sua história para o Sebrae durante o período de cadastro do prêmio, disponível aqui.

A primeira etapa de seleção é feita com a ajuda dos escritórios estaduais do Sebrae, que também premia as vencedoras locais. De cada unidade federativa, podem sair até três ganhadoras. “Elas só serão eleitas se cumprirem todos os requisitos determinados pela FNQ. Se, por exemplo, não existir um negócio rural alinhado com a nossa metodologia em São Paulo, esse Estado ficará sem uma vencedora na categoria”, diz Teixeira. Este ano, 69 empreendedoras foram aprovadas nessa etapa.

Além de Silvania foram premiadas as cearenses Nélia Helcias Moura e Antônia Isidório de Lima.

Não foi possível contato com Silvania, nem tão pouco ela comentou sobre a premiação nas redes sociais.

Com informações e fotos do portal Revista do Sebrae