24 de julho de 2018

Camilo e Eunício trocam afagos e defendem aliança


Em meio às críticas de Ciro Gomes (PDT) ao senador Eunício Oliveira (MDB) nas últimas semanas, o governador Camilo Santana (PT) e o emedebista seguem dando sinais de consolidação da aliança. Ontem (23/07) as duas lideranças trocaram afagos em mais um episódio pré-eleitoral.

À rádio Cultura dos Inhamuns, de Tauá, o petista elogiou a postura do ex-adversário citando a “parceria administrativa” e defendeu a aliança na disputa de outubro.

“É importante que essa parceria continue nessas eleições, porque quem ganha com isso não é Camilo, não é Eunício. Quem ganha é o povo do Ceará. Nós estamos nos aproximando para viabilizar recursos importantes para o povo cearense”, disse Camilo em entrevista.

Horas depois, o presidente do Congresso Nacional afirmou que a aliança com o governador rompe a “barreira das vaidades, dos interesses pessoais” e que está sendo construída “com muita gente, com aqueles que têm interesse em desenvolver o Estado, com prefeitos, vereadores, lideranças, movimentos sociais”.

Eunício argumentou ainda que tem pesquisas internas em que o eleitorado “aprova e aplaude” a aliança entre ele e o governador para a disputa de outubro.

No cenário do namoro Camilo-Eunício, a semana é decisiva para a definição das candidaturas da oposição, encabeçada pelo PSDB, e do PT ao Senado.

De acordo com o dirigente do PSDB, Luiz Pontes, a legenda define até a próxima sexta-feira, 27, o segundo nome ao Senado. Além do ex-senador, o nome da ex-presidente do Sindicato dos Médicos, Mayra Pinheiro, é ventilado pela cúpula do partido para a postulação da vaga.

Ao jornal O POVO, Mayra admitiu que ainda pode concorrer caso a nova pesquisa interna do partido aponte o fortalecimento do seu nome e o PSDB não encontre outra candidatura viável para o pleito. A preferência, confessa, é concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa.

“É uma decisão para ser tomada pelo grupo que deve acontecer. Essa possibilidade (de candidatura ao Senado) ainda existe”, considerou.

Jamieson Simões e Anna Karina, ambos pré-candidatos ao Senado pelo Psol, seguem trabalhando a pré-campanha e se reunindo com movimentos sociais para apresentar as ideias.

“A gente tem feito roda de conversa nas comunidades, tentando conversar sobre outro modelo de fazer política. Temos conversado com sindicatos, grupos estudantis, coletivos juvenis e viajando pelo Interior”, disse Jamieson ao jornal O POVO. A chapa já visitou 30 municípios e deve manter a estratégia durante a campanha.

O economista João Saraiva, que é pré-candidato ao Senado pela Rede, iniciou reuniões com grupos na Capital. O nome é palanque para Marina Silva no Ceará. “Vamos trabalhar mais em Fortaleza, na Região Metropolitana, na região do Cariri, Quixadá…”, afirmou.

Ontem, Eduardo Girão, pré-candidato pelo Pros, participou de Encontro Estadual de Mulheres tucanas. Hoje, visita os municípios de Paracuru e São Gonçalo do Amarante para divulgar a pré-campanha.

O PT define no próximo sábado, 28, se lança ou não nome para o Senado. O PSDB e o Pros fazem convenção, no domingo, 29, e oficializa o segundo nome ao Senado para concorrer ao lado de Eduardo Girão

Com informações portal O Povo Online

Leia também: