2 de julho de 2018

“Qual motivo Tasso tem pra ser oposição ao Camilo?”


A pergunta acima parte de um ex-aliado do senador Tasso Jereissati (PSDB), o deputado federal Cabo Sabino.

Durante posse como presidente estadual do Avante no último sábado (30/06), o parlamentar atirou contra o antigo bloco que o levou à Câmara Federal ainda em 2014. Recém-chegado à base do governador petista Camilo Santana (PT), Sabino disse que, “até ontem, a segunda maior secretaria do Estado era do Tasso”. 

O parlamentar refere-se ao titular da Secretaria do Planejamento e Gestão, Maia Júnior, que pediu licença do PSDB há menos de um mês alegando impasse entre sua condição de tucano e integrante da equipe de Camilo ao mesmo tempo. 

“A oposição faltou ser oposição ao longo do tempo. Se tivesse construído um projeto para o Ceará desde o início, talvez tivesse crescido mais”, acrescentou Sabino.

Em agosto do ano passado, o deputado federal chegou a dizer que a oposição ao Abolição estava adormecida. “Mas é exatamente o que está acontecendo hoje. Eunício (presidente do Senado) está lá (no governo). Domingos Filho voltou. Gorete (Pereira, deputada do PR) foi pra lá. Genecias Noronha também. Era uma oposição que não existia”, criticou. 

Perguntado se o fato de ter se bandeado para o governismo era uma estratégia de sobrevivência política, Sabino respondeu que o “problema da oposição se chama Camilo Santana”. 

E completou: “As pessoas não têm motivo para fazer oposição ao Camilo. Ele não deu espaço, nunca alimentou ódio de alguém por ele. É diferente dos Ferreira Gomes”.

Com informações portal O Povo Online