31 de julho de 2018

PT e PSDB ainda não definiram vices de Camilo e do General


A menos de uma semana do fim das convenções partidárias, as duas principais candidaturas ao Palácio da Abolição ainda não bateram o martelo sobre os nomes dos vices na disputa.

Candidato à reeleição, o governador Camilo Santana (PT) participou de convenção do PT no fim de semana. O posto de vice na chapa do petista, todavia, permanece incerto.

A depender de PT e PDT, porém, a atual vice de Camilo, Izolda Cela, deve ocupar a vaga. Presidente da executiva petista no Ceará, o deputado estadual Moisés Braz afirmou que a vice-governadora é "uma opção excelente".

Presidente do PDT no Estado, o deputado federal André Figueiredo endossa a avaliação de Braz. Para ele, "a probabilidade é que Izolda se mantenha, sim", ao lado do governador.

Figueiredo também negou que o economista Mauro Filho seja cotado para a vaga. Um dos assessores econômicos do presidenciável Ciro Gomes (PDT), o ex-secretário estadual deve concorrer a assento na Câmara dos Deputados.

Questionado sobre a escolha do nome para a segunda vaga na chapa encabeçada por Camilo, o ex-governador do Estado Cid Gomes respondeu que "em time que está ganhando não se mexe".

Um dos participantes de encontro realizado ontem (30/07) em Fortaleza entre o governador e líderes das 24 legendas que formam o bloco de apoiadores, Cid acrescentou: "Defendo que a chapa inteira seja candidata à reeleição, Camilo e Izolda".

Se do lado governista as tratativas para a vaga de vice parecem se definir, no campo da oposição as conversas estão mais abertas. Ontem, PSDB e Pros se reuniram para acertar detalhes da programação da campanha do candidato General Theophilo em Fortaleza. Entre os tópicos, estava o debate sobre o melhor nome para o posto.

Ao jornal O POVO, o presidente estadual tucano, Francini Guedes, afirmou que o partido já convidou duas pessoas para a função: o médico cardiologista Carlos Roberto Martins, conhecido como Cabeto, e o ex-deputado Vasques Landim.

Cabeto chegou a aceitar a proposta, mas, como não havia se desincompatibilizado a tempo, não pode formalizá-la. Já Landim, que também considerava concorrer a deputado federal, desistiu de pleitear qualquer cargo nestas eleições.

Agora, de acordo com Guedes, o partido não descarta uma solução caseira. Um dos nomes cogitados para a vaga é o do ex-presidente da sigla no Ceará e ex-senador Luiz Pontes.

"Não temos pressa. Procuramos uma pessoa de nossa inteira confiança, que tenha um passado limpo. É possível que esse nome saia do próprio partido", falou.

Com informações portal O Povo Online

Leia também: