29 de julho de 2018

Ailton Lopes diz que Camilo uniu "golpistas e golpeados"

O ato que oficializou Ailton Lopes como candidato ao Governo pelo Psol foi marcado por críticas às alianças e aos arranjos políticos empreendidos pelo governador Camilo Santana (PT) para as eleições deste ano. Na manhã de ontem (28/07), durante a convenção estadual do Psol, Ailton afirmou que o arco de aliança do governador, que reúne 24 legendas, compreende “golpistas e golpeados”.

Ailton resumiu o bloco formado por Camilo como o “pior balcão de negócios que se transformou a política”

“Quem está com essa quadrilha política que tomou conta da República, assaltou o poder e foi responsável por todos esses golpes é tão conivente quanto os golpistas. É importante ter lado nessa eleição”, afirmou.

Durante o discurso, o pessolista sinalizou que deverá focar nos eleitores que se consideram decepcionados com a política e aposta na tentativa de ressaltar as contradições dos adversários. “Até bem pouco tempo, Camilo e Eunício se engalfinhavam, Ciro e o senador chamavam um ao outro de ladrão. Agora, estão todos juntos para poder sobreviver politicamente. A população rejeita esse tipo de política”, disse.

Ailton, que já disputou as eleições de 2014 com Camilo e Eunício, daquela vez em lados opostos, também fez críticas ao senador Tasso Jereissati (PSDB) dizendo que o tucano absorve o que há de “mais conservador e reacionário na política”. “Só não captura todo o reacionarismo porque uma banda grande dele está com Camilo”.

Para a disputa majoritária, o Psol fará coligação com o PCB, que apresentou Raquel Lima como candidata a vice-governadora. Também foram oficializados o pastor Jamieson Simões e a professora da rede estadual Anna Karina Cavalcante como candidatos ao Senado. Com atuação nas periferias de Fortaleza, Simões disse que deverá discutir na campanha as temáticas relacionadas ao fundamentalismo religioso e segurança pública. Anna Karina priorizará a discussão sobre a ausência de política públicas para as mulheres e a pauta da educação.

A convenção também oficializou os candidatos da disputa proporcional, que contará com 36 candidatos a deputado estadual e 20 para federal. De acordo com o deputado estadual Renato Roseno, o objetivo do partido é ampliar para pelo menos dois assentos na Assembleia Legislativa e alcançar uma vaga na Câmara dos Deputados. “Esse ano é o primeiro que a cláusula de barreira vai se aplicar. Nós temos que ter nove deputados federais espalhados pelo Brasil e o Ceará pode dar essa contribuição”, disse.

Com informações portal O Povo Online