15 de setembro de 2018

Em entrevista ao Jornal Nacional Haddad diz que Globo também é investigada e Dilma não é ré

Fernando Haddad no Jornal Nacional (imagem capturada do vídeo)
Em dura entrevista ao Jornal Nacional ontem (14/09), Fernando Haddad, candidato à Presidência pelo PT, trocou farpas com os apresentadores e criticou a emissora. Bombardeado com perguntas sobre os casos de corrupção envolvendo o partido, o candidato se irritou com William Bonner, que incluiu Dilma Rousseff em uma lista de políticos petistas investigados pela Lava Jato.

"A Dilma é ré?", perguntou o petista. "Ela é investigada", retrucou Bonner. "A Rede Globo também é investigada", devolveu o candidato. Na sequência, o petista disse que "a Rede Globo condena por antecipação". "Vocês não tratariam os problemas da Rede Globo (na Justiça) como tratam os da administração pública", criticou Haddad.

Haddad lembrou declaração recente de Tasso Jeiressati, que fez um mea-culpa sobre as posições do PSDB em relação ao governo de Dilma, como o questionamento do resultado de sua vitória e o apoio a pautas-bomba de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara. Os jornalistas responderam ao dizer que o petista tentava culpar outras legendas por erros do seu partido.

O petista também respondeu sobre sua derrota nas eleições para a prefeitura de São Paulo em 2016, quando João Doria, hoje candidato ao governo de São Paulo, venceu a disputa no primeiro turno.

"Saí como o ministro mais bem avaliado do governo mais bem avaliado da história.O clima que se criou de antipetismo, porque se represou o que se sabia sobre outros partidos, foi enorme", afirmou. "Pergunte hoje o que eles acham do meu sucessor (João Doria, do PSDB), o que acham do governo de Michel Temer. Aconteceu uma indução ao erro", afirmou.

Questionado sobre a denúncia apresentada pelo Ministério Público por suposto recebimento de valores irregulares da UTC por sua campanha em 2016, Haddad disse que a Odebrecht e a UTC resolveram retaliá-lo após ele suspender um contrato das empreiteiras no túnel Roberto Marinho. "Esses promotores estão sendo investigados pelo Conselho Nacional do Ministério Público", lembrou.

Ao enumerar medidas de combate à corrupção de sua prefeitura, foi cortado. "O (William) Bonner já está satisfeito com sua resposta", disse Renata Vasconcellos.

Publicado originalmente no portal Carta Capital

Clique aqui e assista a entrevista ao vivo