29 de maio de 2015

Deputados mantém coligação nas eleições proporcionais

Sessão plenária da Câmara dos Deputados para análise e discussão da Reforma Política (Foto: Laycer Tomaz)
O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 236 votos a 206 e 5 abstenções, o destaque do PSDB que pretendia acabar com a coligação eleitoral nos cargos para o Legislativo (deputados federais, estaduais e vereadores). O partido pretendia incluir parte do texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 14/15 na proposta da reforma política (PEC 182/07). 

O texto do destaque assegurava coligações eleitorais apenas para as eleições majoritárias (prefeito, governador, presidente da República, senador). Proposta de Emenda no mesmo sentido já tinha sido aprovado no Senado. 

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, disse estar satisfeito com a votação da reforma política (PEC 182/07). “Apesar de várias tentativas no passado, a matéria nunca chegou a ser levada ao Plenário, como ocorre nesta semana dedicada à votação exclusiva do tema.”

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (28/05), Cunha admitiu que a conclusão da votação pode ficar para a semana de 10 de junho, por conta de temas polêmicos como a duração de mandatos de prefeitos, governadores e presidente da República. 

"Estou feliz porque estamos votando a reforma política. Meu compromisso era votar. Eu disse o tempo inteiro. Todo mundo tentou votar ou pelo menos fingiu que tentou votar e ninguém conseguiu votar. E eu, efetivamente, estou conseguindo colocar em votação. Então, isso me deixa feliz", disse Eduardo Cunha

Com informações Agência Brasil