13 de maio de 2014

Dilma: Projeto do São Francisco abre caminho para tornar o Nordeste sustentável

Cid e Dilma Rousseff posam para fotos com trabalhadores por ocasião da visita às obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco em Jati (Foto: Roberto Stuckert Filho)
Em entrevista coletiva após visita à Barragem de Jati, no Sul do Ceará, nesta terça-feira (13/05), a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o Projeto de Integração do Rio São Francisco abre o caminho com uma visão que tornará o Nordeste sustentável, com relação à segurança hídrica. A presidente destacou que, em governos anteriores, a seca era vista como uma questão a ser combatida, ao contrário das ações de convívio promovidas atualmente.

“Ninguém, no passado, tinha nenhuma noção de que o importantíssimo era conviver com a seca. Que se estruturasse o abastecimento de água e garantir que a seca não fosse surpresa, mas algo previsível, que pode acontecer. Quando a obra iniciou, ela foi predecessora de todas as outras obras, abre o caminho como uma visão de como a gente tornará o Nordeste uma região extremamente estável e sustentável no que se refere à água”, afirmou.

A presidente falou ainda da importância dos mais de seis mil carros-pipa do Exército Brasileiro e das cisternas para suplementar as obras estruturantes na busca pela garantia hídrica. Para Dilma, trabalhar com a seca exige todas as possibilidades de prevenção possíveis.

“Até o final do ano, somando nossos períodos com os do governo Lula, teremos 1,1 milhão de cisternas. 750 mil cisternas [no governo Dilma] aqui são a outra variável que suplementa a garantia de água. Aqui, não brincamos, fizemos obras estruturantes, as cisternas, e tivemos cuidado em furar poços, criar barreiros, sistemas simplificados de água, porque aqui, ou planeja ou em algum momento do futuro terá problemas graves”, disse.

Por último, Dilma transmitiu uma mensagem sobre a realização da Copa do Mundo 2014, que tem início em 30 dias. A presidenta afirmou que os estádios e os aeroportos estão encaminhados, que a conjunção de forças federais e estaduais vai garantir a segurança, e sintetizou dizendo que o Mundial no Brasil tem todas as condições para ser um sucesso.

“Quem quiser manifestar pode, mas a democracia não significa vandalismo ou prejuízo para um conjunto da população. (…) A garantia será integral. Sempre fomos bem recebidos em outras Copas, bem tratados, bem recebidos. (…) Isso que temos que garantir para quem quer assistir à Copa: absoluta tranquilidade, e ela será plena de êxito”, afirmou a presidente.

Com informações Blog do Planalto