28 de maio de 2014

Diretora responde críticas de servidor sobre Escola Nota 10

A Diretora Leocádia e as professores da Escola na Cerimônia do SPAECE em Fortaleza (Foto: Micirlandia Soares)
De forma coerente e bem fundamentada a Diretora da Escola Municipal Joaquim Rufino, Leocádia Soares, rebateu as críticas e insinuações de desconfianças lançadas nas redes sociais pelo servidor municipal Givanildo Gonçalves que contou com o apoio de seu irmão Claudio Gonçalves também servidor municipal. 

A diretora postou que estava triste pelo fato da credibilidade e admiração que dedica aos irmãos Givanildo Gonçalves e Cláudio Gonçalves, lembra que o primeiro prestou serviços na Escola Joaquim Rufino e deve ter tido acesso ao sistema de dados dos alunos como também as falas e vivências da comunidade “pior saber que tais jovens julgam-se e em alguns são vistos como cidadãos conscientes, verdadeiros e politizados, formados e certificados pela ideologia de uma instituição colaboradora, íntegra, e libertadora como a ARCA” lamentou Leocádia.

“Não sei quem ou o que os induziu a tão infeliz ponto de vista essa foi o mesmo que citar 'todo político é corrupto', fica o convite venha a nossa escola que conhecerão em loco. Meu ponto de vista é que vocês Gigi e Cláudio já possuem autoestima, informação, e experiências na quantidade certa para defenderem de fato o certo, e não o que convém aos vossos líderes” continuou a Diretora.

Leocádia disse que não gosta de se vangloriar, pensa que por maior que seja o seu amor e dedicação ao seu trabalho e a Altaneira é pouco, disse ainda que não curte fazer média com o seu profissional, porém depois de ler o infeliz ponto de vista do servidor, precisava trazer a verdade a todos que tem amor e respeito pelo município.

A Diretora cita sua trajetória na Escola e os primeiros resultados colhidos, assim como os problemas enfrentados na gestão anterior na Escola 18 de Dezembro, mas que em janeiro de 2014 de 114 alunos que foram para o fundamental II apenas 3 não estavam alfabetizados, ressaltando que 2 alunos com laudos médicos de deficiência.

"Além de termos qualidade no ensino e contar com os melhores e mais compromissados profissionais do Município, trabalhamos também com respeito e dignidade aos alunos especiais diferentemente de outras escola que esses alunos são tratados como vasos quebrados, em outras cidades esse aluno não é dado a oportunidade de participar das avaliações externas, a nossa escola é acessível e zela pelo execução da cidadania” comentou a Diretora.

Leocádia conclui seus comentários dizendo que para toda educação de Altaneira ser Nota 10 depende de todos os professores municipais fazer de seu vínculo profissional com o município uma pratica efetiva, planejada e voltada para todos e para cada um, “precisamos amar mais e se envolver na política da educação, deixando a política partidária para a rua”, escreveu.

A diretora critica, ainda, os professores que ganham mais de 3 mil reais e quando chega na escola na produz. “... se viciou no discurso de salário e greve, e ai os resultados apareceram, a prova dos 9 fortalece e mim deixa muito a vontade sobre o que sempre falei e hoje posso provar da educação de Altaneira, porém por mais que tudo esteja dito e provado por mais que não tenha mais máscara para cobrir, cada um de nós só enxerga o que quer” conclui Leocádia.

Até o fechamento desta postagem os irmãos Gonçalves não haviam replicado a resposta da Diretora Leocádia Soares. Já o prefeito Municipal Delvamberto Soares (Pros) disse apenas que lamentava a falta de reconhecimento da dupla.