14 de maio de 2014

Dilma promete água da transposição no Ceará ainda em 2014

Dilma durante visita à obra, ao lado Cid e membros da comitiva (Roberto Stuckert Filho)
A presidente Dilma Rousseff prometeu, ontem, entregar parte do eixo norte da transposição do rio São Francisco, que trará água para o Ceará, ainda em 2014. “Até o final do ano vamos entregar uma parte, que vai ter água [de Pernambuco] até o Ceará, e outra parte [eixo leste] fica para o próximo ano”, declarou a petista. Dilma justificou o atraso na entrega dos canais e túneis pela complexidade da obra. “É preciso entender que são obras complexas. Aqui tem obras de arte a serem consideradas. Esses 477 km escondem uma série de outros projetos que estão conjugados”, disse.

O novo prazo do Governo Federal aconteceu no início da visita da presidente aos canteiros da obra. De São José de Piranhas, a presidenta Dilma Rousseff seguiu para Jati, no Cariri cearense, ainda pela manhã. À tarde, Dilma esteve em Cabrobó (PE).

O projeto de transposição do São Francisco é a grande aposta de infraestrutura do Palácio do Planalto para o Nordeste - região em que a petista lidera com folga as intenções de voto.

O governo avalia que, com a obra pronta, o semiárido poderá ter uma política eficaz de convivência com a seca, já que, além da transposição, uma série de obras paralelas estão sendo feitas para garantir o abastecimento de água aos nordestinos.

“O São Francisco é o rio que beneficia mais a população nordestina, e essa obra vai garantir uma diferença de qualidade de vida”, reforçou Dilma. No Ceará, a água do São Francisco irá para uma barragem construída em Jati. De lá, segue, pelo Cinturão das Águas, obra que tem a parceria do Governo Estadual, para várias regiões do Ceará.

A presidente destacou a importância do planejamento conjunto entre governos e do investimento para impedir situações de escassez de água em regiões do Nordeste.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, o projeto de integração do Rio São Francisco busca garantir a segurança hídrica para mais de 390 municípios no Nordeste Setentrional, onde a estiagem acontece frequentemente.

Com informações O Povo Online