19 de maio de 2014

PPS afirma que não apoiará Cid caso ele indique petista ao governo

Veto a nome do PT para sucessão do governador Cid Gomes foi aprovado durante reunião do diretório do PPS (Foto: Divulgação)
Até então aliado certo de Cid Gomes (Pros) para a eleição deste ano, o PPS do Ceará definiu que não sairá em chapa com o governador caso ele indique nome do PT para a sua sucessão. A decisão, destacada em reunião do partido neste sábado, (17/05), segue norma da direção nacional da legenda vetando coligações estaduais que envolvam petistas. 

“O PPS colabora com o Governo Cid e do prefeito (de Fortaleza) Roberto Cláudio, mas sabemos que há impeditivos para um possível apoio caso o candidato escolhido pelo Governador seja do PT. Por isso, vamos aguardar as definições das candidaturas e das coligações até o último momento” diz o presidente da legenda no Estado, o empresário Alexandre Pereira.

No mesmo encontro, o PPS definiu que priorizará eleição de três deputados estaduais e um federal no Ceará. A sigla hoje possui apenas um suplente de deputado na Assembleia, com o parlamentar Tomaz Holanda.

Em termos de eleição nacional, o PPS mantém diálogos com frente formada pelo PSB, Rede, PPL e PHS, que sairá em apoio à candidatura de Eduardo Campos (PSB) à Presidência. “Não buscamos presença na chapa majoritária, mas nosso partido está organizado e merece destaque. Queremos participar ativamente da coordenação da campanha presidencial no Ceará”, reforça Pereira. Ele destaca que, mesmo apoiando Campos, não sairá em chapa com candidato do PSB ao Governo do Ceará.

Nas últimas semanas, a possibilidade de uma indicação petista por parte de Cid ficou mais provável, após conflitos entre o governador e direção nacional do Pros. Os embates ocorrem sobretudo pela manutenção do ministro Francisco Teixeira na Integração Nacional, nome próximo de Cid e que vem desagradando membros da cúpula do Pros.

Dentro dessa perspectiva de tensionamento entre Cid Gomes e Pros, circulam nos bastidores informações de que o governador poderia apoiar nome de sua confiança no PT, como o deputado estadual Camilo Santana.

Com informações O Povo Online