28 de dezembro de 2015

Advogado cearense será o representante da OAB no CNJ

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), Valdetário Monteiro, concorre a uma vaga de representante institucional da OAB no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Os 81 conselheiros federais da Ordem devem votar e eleger a chapa única no próximo dia 31 de janeiro. A posse ocorre no dia 1° de fevereiro de 2016.

“Antigamente, no CNJ, quem tinha assento era o presidente da OAB nacional. Mas como ele não tinha tempo suficiente para todas as atividades, então foi criado esse cargo de representante institucional”, explica Valdetário.

O atual presidente, que deve deixar o cargo nos próximos dias, galga projeção nacional na OAB após ocupar por duas vezes a presidência da Ordem no Estado e fazer seu sucessor.

Confirmando a eleição da chapa única no próximo mês, o presidente Valdetário Monteiro será o primeiro cearense a ocupar o cargo criado em 2015. Atualmente quem ocupa o posto é o presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

Valdetário explica que o cargo que pleiteia atua no papel de julgador e na função de integração do CNJ com os tribunais de justiças. Segundo ele, a OAB passa a ter um papel importante tendo assento na direção do Conselho Nacional de Justiça acompanhando o andamento das sessões. 

“Esse é um papel muito importante a ser desempenhado no Conselho Nacional de Justiça”, afirmou Valdetário.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) é uma instituição pública com a função de aperfeiçoar o trabalho do sistema judiciário brasileiro, principalmente no que diz respeito ao controle e à transparência administrativa e processual.

Com a missão de contribuir para que a prestação jurisdicional seja realizada com moralidade, eficiência e efetividade em benefício da Sociedade, o Conselho trabalha para ser um instrumento efetivo do Poder Judiciário.

O Conselho Nacional de Justiça desenvolve e coordena programas de âmbito nacional que priorizam áreas como Gestão Institucional, Meio Ambiente, Direitos Humanos e Tecnologia.

Com informações O Povo Online