1 de dezembro de 2015

"Já vi e não gostei" por Guálter George

Um testemunho pessoal, pra começo de conversa: experimentei o voto em cédula e não tenho a menor saudade.

Minha confiança no sistema eletrônico brasileiro é absoluta e não creio, apesar do que a cúpula do Judiciário fez publicar no Diário Oficial da União de ontem (30/11), que a próxima eleição traga o retrocesso na dimensão que a ameaça sugere. 

É, na aparência, mais um segmento que decide tirar proveito da fragilidade política que atinge o governo Dilma Rousseff para obrigá-lo a ceder às suas reivindicações em meio a uma dura contenção de gastos para equilibrar as contas públicas.

A jogada é arriscada porque, afinal, coloca em risco a própria imagem de solidez democrática que o País construiu nos últimos anos, muito em função de um sistema eleitoral que junta segurança, eficiência e rapidez dentro de um mesmo contexto.

O bom senso há de prevalecer ao fim de mais essa confusão que se arma no circo (cada vez mais) da política brasileira.

Publicado originalmente no portal O Povo Online

Guálter George, editor-executivo de Conjuntura do jornal O Povo