4 de dezembro de 2015

Camilo diz que pedido é chantagem de Cunha

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), disse que a decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), de acatar pedido de impeachment é “chantagem” e “muito ruim para o momento que o Brasil está vivendo”.

O petista esteve ontem na sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para apresentar índices da área. Camilo ressaltou articulação dos governadores do Nordeste contra o impeachment. 

“Nós não podemos deixar que interesses pessoais possam ferir a democracia e prejudicar mais ainda o nosso país. É um momento de a gente ter muita responsabilidade”, disse o governador, que acrescentou esperar que as “instituições cumpram seus papéis”.

Ontem (03/12), foi divulgada nota em repúdio ao processo de impeachment assinada pelos governadores Robinson Farias (PSD-RN), Flávio Dino (PCdoB– MA), Ricardo Coutinho (PSB–PB), Camilo Santana, Rui Costa (PT–BA), Wellington Dias (PT–PI), Jackson Barreto (PMDB–SE) e Renan Filho (PMDB–AL).

 No texto, os governadores do Nordeste pontuam que inexiste a caracterização de crime de responsabilidade contra a presidente e dizem que a decisão de abrir o processo “decorreu de propósitos puramente pessoais”.

A nota diz ainda que os líderes “estarão mobilizados para que a serenidade e o bom senso prevaleçam”

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), divulgou um comunicado, em separado, no qual questionou o papel de Eduardo Cunha, que enfrenta problemas no Conselho de Ética da Câmara.

O governador disse que Cunha tem sua legitimidade comprometida e “precisa deixar a presidência da Casa”. Câmara defendeu “trabalho duro” para superação da crise e falou em oportunidade para o governo federal “dar um basta na política pequena, de troca de favores para qualquer tomada de posição”.

Com informações O Povo Online