5 de dezembro de 2015

“O que aconteceu?” por Eduardo Amorim

Plenário da Câmara Municipal de Altaneira (Foto: Junior Carvalho)
A Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Altaneira realizada na tarde de ontem (04/12) foi a penúltima do ano, e a Pauta do Dia, fez jus ao que aconteceu ao longo do ano. Uma única matéria, um requerimento da vereadora Alice Gonçalves (PSB) solicitando ao Executivo uma lombada para a Rua Vicente Ferrer, segundo a vereadora, uma reivindicação da população. Sem discursão a matéria foi aprovado por unanimidade.


Com o início do Tema Livre, Antonio Leite (PRB) agradeceu a presidente da Casa por ter atendido seu requerimento pedindo informações sobre as câmeras instaladas no plenário, mas disse que a informação foi incompleta, pois não consta no ofício que lhe foi entregue, nem valor, nem licitação das mesmas. Cobrou providências sobre o INSS da casa, e informou que a Câmara pode ser multada por estar entregando em atraso declarações à previdência.

Genival Ponciano (PTB), Vice-Presidente da Câmara, cobrou da Presidente providências sobre a Previdência. Reforçou o pedido de cuidado com o Açude Pajeú feito na última reunião plenária. Ainda parabenizou o vereador Antonio Leite pelo requerimento da limpeza dos barreiros, que já está sendo realizada, e clamou para que os pequenos agricultores realizem seu cadastro junto ao Município.

Zuleide Ferreira (PSDB) e Deza Soares (Solidariedade) usaram o Tema Livre para informar a comunidade sobre o cadastramento biométrico que a Justiça Eleitoral iniciará na próxima quarta-feira (09/12).

A presidente do Legislativo, Lélia de Oliveira (PCdoB), informou que viajou a Fortaleza nos dois primeiros dias deste mês, juntamente com a vereadora Alice, onde foram ao Tribunal de Contas dos Municípios tratar de assuntos referentes as prestações de contas da Câmara, a União dos Vereadores do Ceará – UVC, onde foram buscar orientações junto a Assessoria Jurídica; e também à Assembleia Legislativa cobrar dos Deputados Estaduais Tales Felipe (PCdoB) e Zé Ailton Brasil (PP), a construção da Estrada que liga Altaneira à Assaré.
Fato, que deve ser reconhecido e parabenizado, pois é raro neste parlamento informar e justificar de livre vontade as diárias que recebem.

O discurso mais inflamado da Sessão que durou pouco mais de uma hora foi o do Líder da Maioria, vereador Professor Adeilton (PP). O mesmo denunciou supostos esquemas de corrupção no Executivo, lembrou as denúncias de Genival e Zuleide sobre uso de máquinas públicas em obras licitadas e foi enfático em falar nos trabalhos da CPI que está em funcionamento.

Embora o líder tenha feito um discurso inflamado, apenas o vereador Flávio Correia (Solidariedade) falou a respeito dizendo que se deve esperar apurar todos os fatos e que os culpados, devidamente condenados, devem ser responsabilizados.

É de se estranhar o fato de nenhum colega de Bloco ter se manifestado em relação as palavras do Líder, salvo engano fato ocorrido pela primeira vez. Levantei alguns questionamentos sobre isso:
1) Faltou comunicação no grupo da maioria?
2) O Líder se isolou?
3) Houve algum atrito no grupo que comanda o Legislativo Municipal?


Com certeza mais alguns questionamentos que ficarão sem respostas.