11 de março de 2018

Diz ser de Altaneira, mas...


Na última semana, surgiu uma nova brincadeira entre os usuários da rede social Facebook. Os usuários relembrando alguma situação cotidiana da cidade, principalmente de décadas passadas sempre iniciando com a frase “Diz ser de Altaneira, mas...”

O Facebook se tornou uma verdadeira nostalgia. Muitos usuários relembraram fatos, pessoas e lugares que eram bastante frequentados, mas que já não existem e outro até esquecidos.
A cada minutos surgia uma nova mensagem que puxava outra e os altaneirense em diversas partes Brasil compartilhavam suas lembranças.

A professora Corrinha Lino citou várias pessoas do cotidiano popular da cidade como Nelson Cata Osso,  Severo do Papelão, a benzedeira Luiza Cacimiro e ainda postou uma que marcou época: “Diz ser de Altaneira, mas não lembra do show de Bartô Galeno na Toca do Armando”.

O comerciante Jose Francisco lembrou do pão com refresco de Zé Miúdo e da Burra Preta de Ribuliço

Já Nágela Pereira citou o Hotel de Dona Neném Rodrigues e os banhos no cacimbão da Lagoa.

Delvani Soares lembrou das Tertúlias na Toca do Eros Som e Walentina Nogueira dos balanços em canoa do parque nas Festas da Padroeira.

Wendell Arrais lembrou do caldo de Tutu depois das festas no Centro Comunitário e dos banhos de bica do Eros Dancing Club

Apesar da brincadeira ser contagiante e mobilizar centenas de pessoas alguns navegantes  não gostaram e outros advertiram para os erros gramaticais nas postagens, mas no geral foi aprovada pela grande maioria.