16 de março de 2018

OAB diz que paralisação de magistrados é "imoral"


A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) repudiou a paralisação nacional dos magistrados federais e considerou o movimento “inconstitucional” e “imoral”. A entidade entende que a paralisação das atividades tem como consequência a interrupção de serviço essencial à população. 

Outras órgãos se posicionaram contra o movimento de juízes e procuradores federais por reajuste salarial e manutenção do auxílio-moradia.

Conforme nota divulgada ontem (15/03) a OAB-CE afirmou que o protesto tinha “claro intuito de pressionar os integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF)” sobre o caso do pagamento do auxílio-moradia. 

A entidade entende que o benefício é usado como “complementação salarial, em valores que fogem à razoabilidade”.

Também sob a justificativa de inconstitucionalidade, a seccional do Distrito Federal havia se posicionado contrária à iniciativa dos juízes e disse que pediria punição dos manifestantes no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Polêmica, a paralisação dos juízes vem causando reações contrárias desde que foi anunciada, no começo deste mês. O Conselho dos Tribunais de Justiça, que reúne os presidentes de todas as cortes no Estado, também criticou o movimento oficialmente. 

Em carta, a entidade considerou “inadmissível pressionar os ministros da Suprema Corte com paralisação de atividade essencial à sociedade”.

Com informações portal O Povo Online