13 de janeiro de 2014

Dilma avisa a aliados que reforma ministerial será discutida na semana

De olho na campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff começa nesta semana conversas com líderes de partidos aliados para discutir a reforma ministerial. Os dois principais aliados, PT e PMDB, serão os primeiros com quem a presidente vai tratar das mudanças.

Dilma avisou o vice-presidente Michel Temer (PMDB), que tem para hoje almoço marcado com o governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que ele será chamado nos próximos dias para falar do troca-troca. 

Além de ocupar as vagas de ministros que deixarão os cargos para fazer campanha, Dilma vai tentar contemplar os pleitos dos partidos pensando na composição para a disputa da reeleição e no tempo de TV das legendas na propaganda eleitoral. O plano é conquistar o dobro do tempo dos adversários. Para a próxima semana, são esperadas conversas com representantes do PTB, PROS e PP.

A ideia da presidente é abrir espaço na Esplanada para o PTB, que não ocupa um ministério desde 2009, e para o recém-criado Pros.

O Ministério da Integração é a pasta mais cobiçada e alvo de disputa entre os integrantes da base. O ministério está nas mãos de um interino desde que Fernando Bezerra, do PSB, deixou o cargo em 1º de outubro do ano passado.

O partido do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, desembarcou do governo petista de olho na disputa pelo Planalto.

Para 2014, estão reservados para a Integração R$ 9,3 bilhões, sendo 78% para investimentos.

O PTB quer emplacar na pasta o presidente da legenda, Benito Gama. O PMDB almeja ver o senador Vital do Rego comandando o posto. Até o PP, hoje à frente das Cidades, cobiça o ministério.

Mas, no jogo da reforma, existem pelo menos outros 12 ministérios que devem ter seus titulares trocados em 2014. Sete deles são, atualmente, comandados por nomes indicados pelo PT.

Com informações O Povo Online