9 de janeiro de 2014

É preciso reforçar a hidratação das crianças em dias mais quentes


Em tempo de calor intenso, é importante tomar bastante líquido e manter a hidratação, evitando as doenças que aparecem mais com as mudanças de temperaturas. 

Beber água, evitar exposição excessiva ao sol, usar protetor solar são algumas das dicas mais comuns para aqueles que querem aproveitar as férias com saúde. Mas não é preciso sair de casa para ter esse cuidado. 

Os dias quentes exigem mais consumo de água. Em casa ou no lazer, cuidar da hidratação nunca é demais. A água é importante para que todas as funções do corpo humano sejam desempenhadas de maneira adequada, ela atua no equilíbrio da temperatura e atinge todas as células e todos os órgãos do corpo, de acordo com a pediatra Marta Sampaio, do Hospital Infantil Albert Sabin, da Secretaria da Saúde do Estado.

Nos dias mais quentes, os pais devem ter mais cuidado com a hidratação de seus filhos, pois as crianças e os bebês são as principais vítimas da desidratação nessa época. Com o calor, a sede aumenta e os incidentes de desidratação também, há uma grande perda de líquido pela transpiração e pela urina. Boca seca, olhos fundos, intervalos longos para urinar e choro sem lágrimas são alguns dos sinais que indicam a desidratação. Segundo Marta Sampaio, os casos de desidratação são mais comuns nesse período, quando acontecem as chamadas "diarreias de verão". 

Conforme dados estatísticos do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia do Hospital Albert Sabin, a média de atendimento a crianças com diarreias no Hospital é de 5.100 casos por ano, sendo maior o número no primeiro semestre, devido ao calor intenso e às chuvas de verão. A diarreia pode estar associada a infecções intestinais causadas por vírus, bactérias e intoxicação alimentar. "Na época de verão, as perdas aumentam com as diarreias e vômitos. É importante a hidratação e a manutenção da higiene, porque as principais causas das diarreias são virais. E quando a perda de líquido é maior, deve-se procurar um médico", alerta.

Para garantir a hidratação das crianças no verão, além da água, é necessário uma alimentação leve a base de frutas, verduras e legumes. Os pais também podem oferecer sucos naturais, chás e água de coco aos filhos. Porém, a pediatra chama a atenção para os cuidados com a ingestão excessiva de açúcares. Ela diz que a água de coco, o suco e o chá podem ser oferecidos como lanche, mas não substituem a água natural. "Mesmo que a criança não peça, a oferta de água deve partir dos pais", acrescenta.

Mães de bebês que se alimentam exclusivamente de leite materno não precisam se preocupar. O leite humano é suficiente para hidratar os pequenos nesse período de calor intenso, é o alimento natural e mais completo para a criança nos primeiros meses de vida.

Cerca de 88% do leite materno é composto de água, além de ser um alimento completo e rico em diversas substâncias necessárias para o funcionamento saudável do organismo do bebê. Até o sexto mês, a criança não precisa de outra alimentação como chá, suco, água ou outro tipo de leite. Somente depois dos seis meses é que a amamentação deve ser complementada com outros alimentos, sob a orientação de um pediatra.

Marta Sampaio explica que no período de muito calor, é normal a quantidade de mamadas aumentar. O bebê não vai mamar com a mesma intensidade como quando está com fome. A frequência com que a criança solicita a amamentação é muito maior porque ela mama para saciar a sede e a fome. "A amamentação é horário livre, é demanda da criança. Quanto mais ela mama, menor é o risco de desidratação", conclui.

Dicas para uma boa hidratação

- Para a população em geral, a recomendação é feita de acordo com a faixa etária. Crianças entre 1 e 3 anos de idade devem consumir cerca de 1,3 litros de líquidos por dia. Por outro lado, crianças entre 4 e 8 anos precisam de 1,7 litros diários;

- Incluir mais frutas nas refeições principais e nos lanches;

- Não esperar a criança dizer que está com sede, mas oferecer água para ela várias vezes ao dia;

- Oferecer líquido no intervalo das refeições;

- Variar a oferta de líquidos, oferecendo água de coco, chá, suco de fruta natural;

- Evitar refrigerantes e sucos industrializados, eles são calóricos;

- Os pais devem sempre manter uma garrafa de água com eles, caso as crianças sintam sede na rua;

- Colocar uma garrafinha de água na mochila da escola;

- Para a mãe que está amamentando, o cuidado não fica restrito ao bebê, ela mãe também deve se hidratar bem. É preciso ingerir pelo menos dois litros de água por dia e manter uma alimentação rica em líquidos como frutas, sucos, verduras e legumes crus ou cozidos.

Com informações Assessoria de Comunicação do HIAS