12 de janeiro de 2014

Oposição vê inflação como ameaça à reeleição de Dilma

Um gráfico da GloboNews virou chacota nas redes sociais – foto reprodução do Facebook
Na avaliação de parlamentares da oposição, o resultado do IPCA de 2013 indica que o arsenal de medidas econômicas para debelar a inflação "se exauriu". Enquanto os presidenciáveis Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB) não se pronunciaram sobre o indicador, líderes da oposição não pouparam críticas à gestão petista e disseram que o desempenho da economia pode pesar contra a reeleição de Dilma Rousseff.

Para o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), a alta da inflação oficial ocorreu por razões de ordem estrutural, mesmo o governo tendo elevado a taxa básica de juros na tentativa de diminuir a pressão sobre o índice. "O arsenal de medidas do governo, de medidas que você possa tomar com efeito colateral suportável, já se exauriu", comentou.

Ele lembrou que a inflação gerou uma diminuição das vendas do Natal e inibiu investimentos no País. "O governo não está atuando nas estruturas, está fazendo apenas medidas tópicas. Não dá para curar a febre quebrando o termômetro."

O vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), afirmou que é inevitável que o impacto da inflação pese nas eleições. "É o que elege ou derrota os governos. Portanto, a menos que a oposição facilite muito, a reeleição da Dilma será colocada em dúvida", afirmou.