15 de janeiro de 2014

Secretário justifica transferências de servidores

Após postagem no blog do vereador Professor Adeilton (PP) sobre transferências de servidores municipais, o tema ganhou força nas redes sociais. Com o título “PREFEITO DE ALTANEIRA TRANSFERE DIVERSOS SERVIDORES DE SEUS LOCAIS DE TRABALHO o vereador insinua que as transferências se deram por perseguições políticas.

A navegante Sinthia Mateus comentou que as transferências eram normal, pois acontecia na gestão anterior. “Mas, lembrando ao senhor, que achava totalmente natural... E não achem que por ter falado isso, estou de um lado e não do outro... Estou livre desse mal. Não ganho nada com isso” comentou Sinthia em resposta ao vereador.

Adeilton replicou dizendo que “Ninguém nunca achou natural ou aceitar perseguição. Sempre reclamamos desse mau. Tínhamos certeza de que isso nuca iria acontecer quando a oposição chegasse ao poder. Eles sempre foram contrários e críticos ferrenhos dessa postura”.

A servidora Francelma Bitu uma das citadas na postagem disse que não encarava a transferência como perseguição. “me sinto muito importante e posso prestar meu serviço em qualquer localidade pois faço isso com amor” comentou Francelma.

Tati Freire, considerou o tema irrelevante e afirmou ser prática comum de gestão “Independentemente da gestão sempre haverão casos como esse, e que quando se está do lado de quem executa e que lhe é "favorável" será algo normal, justo e todas as demais justificativas. E que, quando se está do lado oposto sempre será visto de forma contrária a anterior, o nome já diz tudo né "OPOSIÇÃO". Acho bonito esses joguinhos políticos de criar polêmica em cima de uma situação óbvia pra dizer que se preocupam com alguma coisa. É tudo um jogo de poder, se não fosse não seria política” dissertou.

Convidado a justificar os atos o Secretário, Ariovaldo Soares, disse que as transferências de servidores ocorrem em todos os níveis de Poder, sejam de oficio para atender o interesse da administração ou a pedido, quando atendidos a ambos. Lembrou que o tema foi tema recorrente, inclusive no Plenário da Câmara Municipal que muitos servidores atendiam mal a população. “De outra forma, o Prefeito decidiu por, em pagando o salário minimo nacional a todos os servidores, também aumentar a carga horária destes. Assim sendo, é natural que ocorressem remanejamentos. Se algum servidor julgar que sua transferência é ilegal, pode livremente questiona-la administrativamente ou judicial” justificou.

Ariovaldo Soares adiantou, ainda que já esta em fase de elaboração um projeto de lei criando a Ouvidoria Geral do Município, com a finalidade de promover o recebimento de denuncias, queixas, reclamações e sugestões por parte da população. “Serão colocadas urnas em todos os locais de atendimento público de responsabilidade do Município, para o recebimento de manifestos escritos, serão também disponibilizados números telefônicos e-email, podendo qualquer cidadão deles utiliza-los, inclusive no anonimato” informou Ariovaldo.