24 de maio de 2018

Protestos paralisaram vias na Capital e no Interior

Greve dos caminhoneiros na BR-116 em Fortaleza (Foto: Gustavo Simão)
Dando continuidade à paralisação de caminhoneiros em todo o Brasil, motoristas do setor e trabalhadores autônomos aderiram às manifestações e paralisaram vias na Capital e no Interior. O movimento dos caminhoneiros deu ao governo prazo até a sexta-feira, 25, para que seja apresentada proposta de redução do preço do combustível. Até lá, caminhões continuarão parados.

Na manhã de ontem (20/05), houve bloqueios parciais na BR-116 em três trechos: no km 18, em Eusébio, no km 70, em Chorozinho, e no km 545, em Penaforte. Conforme a Polícia Rodoviária Federal no Ceará, que acompanhou as manifestações ao longo da manhã, no Eusébio, a rodovia foi parcialmente interditada formando um congestionamento de cerca de dois quilômetros (km). Em Chorozinho, cerca de 800 caminhões aderiram à paralisação, ocupando quatro km de acostamento, nos dois sentidos.

À tarde, houve manifestação na BR-020, em Caucaia. Em Fortaleza, cerca de 40 caminhões fizeram carreata pelos bairros. Houve paralisação na praça Portugal. Motoristas autônomos bloquearam a avenida Carlos Jereissati, a avenida do Aeroporto.

Conforme Antonio Evangelista, presidente da Associação dos Motoristas Privados Individuais de Passageiros (Ampip-CE), os profissionais aderiram aos protestos contra o aumento do valor dos combustíveis. Segundo ele, haverá ação amanhã de manhã, na avenida Alberto Craveiro. Ontem, a gasolina atingiu valor recorde na Capital e pode ser encontrada a R$ 4,89 em diferentes estabelecimentos.

Mirio Pavan, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes de Mudanças, Bens e Cargas do Estado do Ceará (Sindicam-CE), afirma que a orientação é para que a categoria apoie o movimento. Ele acrescenta que deve haver novos protestos na manhã de hoje, mesmo diante da sinalização de redução de impostos.

No terceiro dia de protestos, a Polícia Rodoviária Federal contabilizou manifestações em rodovias federais de 23 estados. Em Pernambuco, foram registrados até o fim da noite de ontem cerca de 15 pontos de paralisação em BRs. O Paraná chegou a registrar 95 pontos de bloqueios em rodovias.

A ministra Grace Mendonça, da Advocacia-Geral da União (AGU), disse ontem que a entidade conta com 100 advogados públicos em regime de plantão para tentar desarticular o bloqueio das rodovias federais feito por caminhoneiros em todo o País.

Com informações portal O Povo Online